Rio tem 11 mil oportunidades de empregos de até R$ 5 mil

Chances são para diferentes níveis de escolaridade. Muitas não precisam ter experiência

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Ao contrário do que mostram as pesquisas, o mercado está aquecido e à procura de profissionais qualificados. Somente no Rio de Janeiro há 11.012 vagas em diferentes níveis de escolaridade, com salários que chegam até R$ 5 mil. “Temos muitas oportunidades a oferecer, então este é o momento de conseguir um novo emprego”, diz o consultor da RH Personalizado, Alan Gomes.

A Secretaria Municipal de Trabalho e Emprego (SMTE), por exemplo, possui 3,6 mil chances abertas para candidatos com os ensinos Fundamental e Médio. Para o primeiro caso, há vagas de ajudante de cozinha, de pizzaiolo, atendente de balcão, auxiliar de cozinha, de limpeza, de sushiman, balconista, caixa de supermercado, copeiro, cozinheiro geral, operador de carga e descarga e repositor em supermercados.

Diariamente%2C os postos da Setrab e da SMTE recebem dezenas de interessados a um empregoDivulgação

Também são muitas as atividades para os candidatos com Ensino Médio completo: atendente de balcão, auxiliar de almoxarifado, auxiliar de cozinha, auxiliar de pessoal, caixa de supermercado, cozinheiro de restaurante, fiscal de loja, frentista, líder de recepção, motorista de caminhão, operador de caixa, operador de telemarketing ativo e receptivo e subgerente de restaurante.

Para se candidatar basta levar identidade, CPF, carteira de trabalho e PIS a um dos Centros Públicos de Emprego, Trabalho e Renda (Cpetr) que ficam na Tijuca, Jacarepaguá, Campo Grande, Ilha do Governador, Méier, Gamboa e Centro. Ou enviar currículo para o e-mail da Central: smte.convocacao.vagas@gmail.com ou smteboasvagas@gmail.com.

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

A Secretaria Estadual de Trabalho e Renda (Setrab) oferece nesta semana 3,9 mil postos de trabalho, com salários que podem chegar a R$5.068 mais benefícios como vale-transporte, vale-refeição ou vale-alimentação, plano de saúde e odontológico. A secretaria também tem vagas para pessoas com deficiência.

Para esse público, a SMTE possui 544 oportunidades de trabalho. Já na Região Metropolitana do Rio, há 214 chances de emprego para o segmento.

Também na Baixada Fluminense e no Grande Rio, a Setrab tem mais 2.364 oportunidades, com destaque para as funções de telemarketing, operador de caixa, faxineiro e repositor.

Para obter mais informações sobre as vagas, basta ligar para o telefone (21) 2332-9999 ou acessar o site (www.rj.gov.br/web/setrab). É necessário que o candidato apresente carteira de trabalho, número de inscrição no PIS/Pasep, identidade e CPF, além de comprovante de residência.

?Outback abre processo seletivo para 80 vagas

A rede de restaurantes Outback abriu processo seletivo para preencher 80 vagas. Os postos são para atendentes de restaurante e de bar e auxiliar de cozinha. Os interessados devem comparecer em uma das unidades somente às segundas-feiras, das 15h às 17h, com identidade, foto 3x4 e carteira de trabalho, para participar da primeira entrevista.

Podem se candidatar homens ou mulheres com mais de 18 anos de idade, preferencialmente estudantes (universitários ou pessoas com Ensino Médio/Técnico completo ou cursando), que tenham disponibilidade de horário, inclusive para finais de semana e feriados. Não é necessário ter experiência.

“Investimos para que as pessoas eventualmente possam assumir novas posições no restaurante. O ambiente de trabalho alegre e informal é outra vantagem para quem trabalha com a gente”, explica Roy Cox, sócio regional da rede de restaurantes no Rio de Janeiro.

No Outback%2C a preferência das vagas é para estudantes com disponibilidade de horário%2C inclusive para fins de semana e feriadosDivulgação

?‘É preciso continuar estudando’

Mesmo com grande oferta de empregos no Estado do Rio, os candidatos que têm mais chances no mercado são os que possuem mais qualificação. A ressalva é do consultor de Recursos Humanos (RH), Alan Gomes.

“Estamos há mais de um mês tentando fechar 310 vagas, mas não conseguimos porque as pessoas não conseguem responder as perguntas do teste”, conta o especialista. Os candidatos têm que continuar estudando”, aconselha.

Outro fator apontado por Gomes é a dificuldade de locomoção do candidato. “Há o problema do interessado não conseguir a vaga por não poder ir na entrevista. Ele mora longe do local de trabalho e não tem dinheiro da passagem ou não chega no horário da entrevista”, diz.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia