Conar libera anúncio no qual cantor usa bordão ‘ordinária’

Propaganda havia sido proibida em maio

Por bferreira

Rio - O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) liberou a exibição da propaganda do site Bom Negócio com o cantor Compadre Washington, que ficou famosa por trazer o bordão “Sabe de nada, inocente”. Retirado do ar em maio, após cerca de 50 consumidoras terem reclamado do uso da palavra “ordinária” para se referir a uma mulher, o Conar voltou atrás e autorizou o comercial a ser novamente veiculado depois da queixa de outros 100 consumidores contra o veto.

Na ocasião, o órgão havia determinado que a propaganda só poderia ser exibida se cortasse a palavra. O Conar entrou com recurso contra sua própria decisão no dia 24 de junho, sendo julgado no último dia 16, na qual o processo acabou arquivado por unanimidade. Ou seja, a peça publicitária pode voltar a ser veiculada quando a empresa desejar.

FORMA CARINHOSA

No filme, o cantor desaparece antes de terminar de falar a palavra “ordinária”. O Conar entendeu, porém, que o termo ficava “perfeitamente compreensível” para o pú</MC>blico. Na época da proibição, Compadre Washington havia declarado, em nota, que não teve intenção de ofender as mulheres. “A propaganda foi um sucesso que surgiu do improviso de alguns bordões meus. Não houve intenção de ofender à figura da mulher, uma vez que a palavra ‘ordinária’ se insere em um contexto de admiração a ela”, relatou.

Ainda segundo o artista a expressão, na propaganda, é seguida de outro bordão — ‘assim você vai matar papai’, que informa ele, ter a intenção de dar a ideia de admiração pela mulher. “É um jeito meu de falar, uma forma carinhosa de apelidar uma mulher”, afirmou o cantor do grupo baiano É o Tchan.

Até ser cortado, o anúncio era o mais bem sucedido do site Bom Negócio, com mais de oito milhões de visualizações na internet.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia