Saiba como se prevenir de golpes na Black Friday

Segundo especialista, meio de pagamento mais seguro para o internauta ainda é o cartão de crédito

Por clarissa.sardenberg

Rio - A Black Friday deve movimentar mais de R$ 700 milhões este ano. A Braspag, empresa de meios de pagamento do grupo Cielo, estima realizar quase 1 milhão de transações financeiras durante toda a sexta-feira, 28 de novembro. O grande número de operações pode atrair atrair malfeitores. Para evitar golpes e fraudes, consumidor deve colocar em prática medidas do dia a dia das compras virtuais.

Internautas menos atentos podem ser presas fáceis de falsos descontos e roubo de dados, por exemplo. Veja abaixo alguns dos principais golpes e fique atento:

Boleto eletrônico adulterado

Há poucos meses, a empresa de segurança eletrônica RSA identificou uma fraude que movimentou cerca de R$ 8,5 bilhões na internet. A chamada “gangue do boleto” infectou mais de 190 mil computadores com um vírus que alterava o número de boletos originais e fazia com que o dinheiro fosse para a conta dos criminosos.

"O internauta precisa escapar das armadilhas que se propagam com o uso de e-mail. Os malfeitores podem se aproveitar da data para distribuir mensagens com links falsos", diz Gastão Mattos, CEO da Braspag. Para não cair em golpes, o consumidor deve evitar entrar em links de promoções agressivas ou fantasiosas demais de sites desconhecidos.

Dica é procurar comprar produtos em sites oficiais de lojasReprodução Internet

O meio de pagamento mais seguro para o internauta, explica Mattos, ainda é o cartão de crédito. "Você não está pagando por aquilo na hora e tem a recorrer caso exista algum problema, já que as operadoras fazem a intermediação da compra."

Jerome Pays, diretor da empresa de meios de pagamento Lyra, confirma. "Quem fica com o ônus caso algo aconteça é a loja. O consumidor tem todo o suporte de quem intermedia a transação", diz.

Roubo de dados bancários do internauta

Para evitar o risco de ter seus dados compartilhados, o internauta deve evitar fazer transações em sites desconhecidos. O consumidor também pode verificar se a loja virtual possui certificações de segurança. "Aqueles cadeadinhos que vemos nas páginas não são à toa. Há diversas tecnologias que protegem o consumidor", afirma Luiz Antonio Sacco, diretor geral da SafetyPay, plataforma de pagamento digital que realiza transações financeiras dentro do ambiente de internet banking do comprador.

Outra dica é manter o antivírus do computador atualizado, já que o roubo de dados também se dá quando o equipamento está vulnerável à riscos.

Pays recomenda que os internautas antentem-se a certificações de empresas do meio, como a e-Bit, que certifica a segurança dos sites de comércio eletrônico.

Lojas que não existem

Tom Canabarro, cofundador da Konduto, plataforma brasileira especializada em análise de fraude e comportamento de compra na internet, alerta para perfis de lojas falsas nas redes sociais.

"Notamos um movimento de perfis falsos em redes como o Facebook e o Instagram. Os consumidores pagam pelos produtos por meio de depósitos bancários, mas os produtos e as empresas não existem", explica.

A dica é procurar comprar produtos em sites oficiais de lojas. "Fazer transferências em outros ambientes apresenta riscos", diz Canabarro.

Falsos descontos 

Este ano, o Busca Descontos, que trouxe a data pela primeira vez ao Brasil, em parceria com a Câmara Brasileira de Comério Eletrônico, organizou o Black Friday Legal, selo concedido à lojas que se comprometam a não maquiar preços.

Em anos anteriores, a Black Friday ficou conhecida como "Black Fraude: tudo pela metade do dobro", em alusão aos falsos descontos oferecidos por lojistas. Sites comparadores de preços também podem ajudar os internautas.

Para evitar problemas com atendimento ruim, pagamento e frete, Maurício Salvador, presidente da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), aconselha que os consumidores fiquem atentos a sites de reclamações e redes sociais. "Se a loja recebe reclamação o ano todo, receberá ainda mais na Black Friday. Em um período curto de muitas vendas, a possibilidade de haver erros é maior."

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia