Por bferreira

Rio - Fim de 25 anos de espera para 1.574 docentes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Eles brigavam na Justiça pelo recebimento de verbas trabalhistas não pagas na época em que foi instituído o Regime Jurídico Único (RJU) e houve migração do sistema celetista para o estatutário. O acordo foi fechado ontem entre representantes da instituição e do Sindicato dos Professores do Município do Rio (SinproRio), no valor líquido de R$149.637.170.

O documento foi assinado na Coordenadoria de Apoio à Efetividade Processual (Caep), na sede do Tribunal Regional do Trabalho do Rio. O pagamento será feito mediante expedição de precatórios. A expectativa é que o valor seja repassado até 2016 para os docentes ou no caso de haver morte, para o herdeiro. O valor médio individual será de R$ 80 mil em indenização.

O presidente do SinproRio, Oswaldo Teles, comemorou a decisão e disse que o sindicato vai se empenhar em esclarecer todas as dúvidas que possam surgir. Teles cita que é importante que os docentes que ingressaram na Justiça mantenham os dados atualizados.

“Vamos nos organizar desde já, mas as ações mais específicas só poderão ser feitas quando tivermos a expedição dos precatórios, para que não haja dúvidas”, completou.

Você pode gostar