Mais Lidas

Sucesso nas finanças: Como dar entrada na casa própria?

Nos últimos anos, o empréstimo imobiliário se tornou uma das mais importantes formas de aquisição de imóvel

Por bferreira

Rio - Quando se pensa na compra de um imóvel é comum se questionar qual seria a melhor forma de se programar para conseguir pagar a dívida. Na maioria das vezes, a opção mais usada é recorrer ao crédito habitacional no sistema financeiro.

Nos últimos anos, o empréstimo imobiliário se tornou uma das mais importantes formas de aquisição da casa própria. Mas ainda existem muitas dúvidas com relação a esse crédito, em função do grande volume de informações e procedimentos burocráticos que fazem parte do processo.

Algumas considerações podem ser feitas a esse respeito, principalmente no em relação às precauções que precisam ser tomadas para planejar e concretizar o sonho da casa própria.

Veja mais dicas abaixo.

Por Jair Abreu Júnior

PERGUNTA E RESPOSTA

“Estou pensando em me casar em dois anos e comprar uma casa. Eu e meu noivo estamos em dúvida, se é melhor fazer um sacrifício e guardar um dinheiro todo mês para dar entrada no financiamento do imóvel, ou pegar o valor emprestado em um banco. O que seria melhor fazer?”

Alessandra, Méier

Alessandra, a aquisição de um imóvel é, na maioria das vezes, um momento de entusiasmo exagerado e alegria incontida. Isso implica no risco de decidirmos mais com o coração do que com a razão.

Dessa forma, é recomendado que primeiramente, você identifique um imóvel que esteja compatível com a sua situação financeira.

Em certas ocasiões, em função da emoção, não somos capazes de mensurar os benefícios reais e as contrapartidas de um financiamento imobiliário. Por esse motivo, procure se planejar muito bem antes assumir um compromisso com um agente financeiro.

Hoje em dia, encontramos no mercado instituições financeiras que nos auxiliam nesse aspecto, com a oferta de ferramentas para simulação de financiamentos imobiliários, em função das quais será possível identificar, inclusive, taxas de juros diferenciadas. Pesquise em vários bancos e procure identificar os que melhor atendem às suas necessidades e, também, ao perfil do imóvel que deseja.

Procure não se precipitar e agir por impulso, isso é muito importante. As linhas de crédito se diferenciam em função do valor do imóvel, quantidade de parcelas, quantia referente à entrada. Tenha sempre em mente o tipo de empreendimento que você quer e compare com a sua renda .

O financiamento não deve comprometer mais do que 30% do seu orçamento, e se trata de um compromisso de longo prazo. Quanto à opção de reservar recursos financeiros para aquisição futura, dependerá do montante disponível para tal, principalmente, considerando que você pretende se casar em dois anos, ou seja, em curto espaço de tempo, no que se refere a compra da casa própria. Boa sorte!

Jair Abreu Júnior é coordenador em Gestão Financeira da Universidade Estácio de Sá

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia