Sucesso nas compras: Cuidado com o valor dos importados

Com a valorização do dólar diante do real, encareceu o custo dos produtos importados como vinhos, massas, bacalhau e geleias

Por bferreira

Rio - Com a valorização do dólar diante do real, encareceu o custo dos produtos importados como vinhos, massas, bacalhau e geleias. Assim, quem gosta de especiarias gourmet deve ficar atento a cotação da divisa norte-americana na hora de adquirir esses produtos.

Neste momento, é importante pesquisar bastante e procurar as lojas que ainda têm estoque de mercadorias adquirido no fim do ano passado ou início de 2015, já que a cotação da moeda ainda era menor. Agora é questão de oportunidades, procure pois é possível achar boas promoções de importados. Além disso, também vale a pena investir em produtos nacionais gourmet que estão entrando nestes segmentos e que podem substituir alguns importados como as geleias e massas de grano duro.

Por Marco Quintarelli

PERGUNTA E RESPOSTA

“Gosto muito de produtos importados, principalmente vinhos, bacalhau, azeites, massas italianas e geleias. Mas agora com esta loucura do dólar, estes produtos aumentaram e acredito que vão subir mais. Tenho como fugir ou minimizar o impacto dessas altas na hora das minhas compras ?”

Marcelo Reis, Barra

Marcelo, fugir, com certeza não tem como, mas minimizar o impacto tem sim. Dos produtos mencionados, o único que tem situação de abastecimento mais delicada é o azeite. Todo o azeite de oliva é importado, e o maior produtor é a Espanha. Este ano a safra teve problemas e produzirá apenas 60% dos anos anteriores. E a escassez fará o preço de importação subir demais.

Para o fim deste ano, os azeites portugueses, espanhóis, italianos e gregos deverão estar com os preços, no mínimo, 20% mais altos que os valores de hoje. Os maiores impactos estão nos produtos “dolarizados”, isto é, cuja a moeda de venda usada é o dólar, como vinhos que não sejam da Europa e o bacalhau, negociados nesta divisa. Os vinhos chilenos e argentinos, vindos do Mercosul,têm a vantagem por não ter alíquota de importação.

Os produtos que são negociados pelo euro, como massas italianas, geleias e vinhos europeus ainda poderão ter seus preços mantidos ou com pouca variação nos próximos meses. De qualquer maneira, fique alerta, pois muitas lojas ainda estão vendendo produtos recebidos em dezembro de 2014 ou janeiro de 2015, quando a variação cambial ainda não tinha esta oscilação.

Para garantir as vendas, vão manter os preços até receberem uma nova remessa, quando terão que reajustar os valores. Procure estocar aquilo que não perece e pode ser armazenado com facilidade. Até os vinhos podem ser bem armazenados, desde que mantenha as temperaturas adequadas como numa adega, por exemplo.

Além disso, procure também por produtos nacionais gourmet que estão entrando nestes segmentos e que podem substituir alguns importados como as geleias e massas de grano duro.

Marco Quintarelli é consultor do Grupo AZO. Segunda-feira, Sucesso nos Concursos

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia