Sucesso nos Negócios: Além do crédito, conceito é diferencial

No setor de hospedagem, que ainda está aquecido por conta das férias e das Olimpíadas, existem muitas possibilidades antes de recorrer a empréstimos bancários

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - A concessão de crédito nem sempre é a melhor alternativa para os microempresários. Dependendo do negócio, o empreendedor pode buscar outras maneiras para ter sucesso de modo sustentável. No setor de hospedagem, que ainda está aquecido por conta das férias e das Olimpíadas, existem muitas possibilidades antes de recorrer a empréstimos bancários para capital de giro e investimentos. O ideal, no entanto, é começar o negócio sem dívida.

Por isso, o melhor é iniciar com a infra-estrutura existente, sem investimentos em reformas e depois pensar em recursos para ampliação. Alternativas mais simples, como um estabelecimento do tipo cama e café, hostel ou albergue, são mais adequadas, mas o Plano de Negócios deve prever um diferencial. Saiba mais abaixo.

PERGUNTA E RESPOSTA

“Tenho uma casa de praia e quero transformá-la em pousada, mas não tenho dinheiro para a reforma. Como faço para conseguir recursos?”Nely Alvarenga, por e-mail

Prezada Nely, quando um empreendedor pensa em buscar recursos para implantar uma empresa, é normal ter dúvidas se fará isto como pessoa física ou jurídica, pois o crédito destinado à pessoa jurídica, para investimento fixo, que é o seu caso, é mais vantajoso do que para pessoa física. Existem diversas linhas de financiamento para o setor de turismo tanto dos bancos federais quanto da Agência Estadual de Fomento (AgeRio). É importante pesquisar e fazer simulações para encontrar a que melhor atenderá sua necessidade.

O primeiro passo é fazer o Plano de Negócios, que deve considerar o tipo de hospedagem e qual o conceito, ou seja, o estilo do negócio e seu diferencial. Inclua, por exemplo, receitas de família no cardápio, se optar por um cama e café. No caso de um hostel, invista em decoração temática e programação cultural e de entretenimento. Isso é fundamental em hostels e pousadas, pois muitos deles são administrados diretamente pelos proprietários, que moram nos locais e fazem da atividade um misto de empreendimento e estilo de vida, oferecendo um atendimento próximo e diferenciado ao cliente.

Se for cama e café. é uma exigência residir no local e ter, no máximo, até três quartos, podendo inclusive optar pelo MEI, caso a faixa de faturamento seja condizente. Vale a pena pesquisar no site do Ministério do Turismo (www.turismo.gov.br) informações sobre o Cadastur, e as normas técnicas relacionadas ao segmento de meios de hospedagem (ABNT NBR 15.401/2014 — Sistema de Gestão da Sustentabilidade nos Meios de Hospedagem). Duas associações são referência no setor: ACCARJ (Associação de Cama e Café e Albergues do Estado do Rio de Janeiro) e Alberj (Associação Brasileira dos Albergues da Juventude — Hostelling Internacional). Ligue na Central de Relacionamento do Sebrae/RJ 0800 500 0800 e agende uma visita.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia