Compras públicas para educação fomentam a inovação no setor, diz Finep

'Investimento em educação tende a crescer', segundo diretor da instituição

Por nicolas.satriano

Rio - As compras públicas para o setor de educação no Brasil precisam ser usadas como mobilizadores da inovação, defendeu nesta quarta-feira o diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Para Fonseca, como o investimento em educação tende a crescer, o Estado pode fomentar a inovação com mecanismos específicos, como fazem os ministérios da Saúde e da Defesa.

"A Defesa tem a margem de preferência para as empresas que estão produzindo inovações. A Saúde tem mecanismos de aquisição privilegiada de empresas que estão fazendo produtos de interesse do SUS, com toda uma trajetória em que consegue apoiar e garantir a compra para as empresas".

Segundo ele, está em estudo um edital conjunto entre a Finep e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), para conectar a inovação às compras públicas e o que pode ser usado até o momento para a inovação são os mecanismos de crédito e subvenção econômica da empresa pública.

"O Estado é muito importante na economia e, para além disso, a gente tem no setor de educação, o Estado como o grande comprador", disse Fonseca ao participar hoje da abertura do 1º Workshop de Inovação em Educação. "Pra gente conseguir introduzir inovação e fomentar uma economia mais inovadora é fundamental que esse Estado comprador possa absorver as inovações que chegam", concluiu.

O evento acontece na sede da Finep, na zona sul do Rio de Janeiro.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia