Paes assume parte da responsabilidade por erro em trajeto do Papa

'Foram erros graves e inaceitáveis, embora o Pontífice não tenha passado por nenhum risco real', afirmou prefeito

Por thiago.antunes

Rio - O prefeito Eduardo Paes afirmou, durante coletiva para apresentar o esquema operacional para o restante da Jornada Mundial da Juventude nesta quarta-feira, ser parcialmente responsável pelo erro no trajeto do Papa Francisco pelas ruas do Centro, nesta segunda-feira. Na ocasião, o Pontífice ficou preso no trânsito em vários pontos da Avenida Presidente Vargas, quando seguia para a Catedral Metropolitana, na Avenda Chile. 

"Foram erros graves e inconcebíves. Não poderia ter acontecido, embora o Papa não tenha passado por nenhum risco real. O constrangimento que ele passou não é aceitável. O que aconteceu com o Pontífice, no metrô e no trem de Coelho Neto, quando passageiros não conseguiram fazer a integração, é nosso problema, das autoridades públicas. Não temos direito de errar e temos que resolver para que essas coisas não se repitam", afirmou Paes.

Papa desfila pelo CentroAndré Luiz Mello / Agência O Dia

O prefeito confirmou a missa do Sumo Pontífice para argentinos, mas ressaltou que a Prefeitura ainda prepara o plano de contigência para que o evento aconteça. Ele fez críticas ao show desta terça-feira em Copacabana e à atuação da SuperVia. "As pessoas chegaram com dificuldade. Poderiam ter chegado mais cedo e ficado mais na frente. O plano B era a utilização dos ônibus. Essas coisas poderiam ter sido evitadas. Quando à questão dos trens, é algo lamentável e não se repetirá mais", analisou.

Questionado sobre as manifestações na cidade durante a Jornada, Paes não se mostrou preocupado. "Os protestos não são problema para a imagem do Rio. Atos como este acontecem em lugares onde a democracia é consolidada. O que é ruim é a violência. Em Madri, onde aconteceu a última JMJ, também ocorreram manifestações", disse. 

Paes pede paciência

O prefeito pediu a compreensão da população aos eventos de quinta e sexta-feira da Jornada — que chamou de “dois dias de réveillon”. A Avenida Atlântica, em Copacabana, interditada desde a meia-noite, só será reaberta às 4h de amanhã. Na quarta, foi prorrogada até o meio-dia desta quinta a venda de bilhetes especiais de metrô.

Funcionamento dos transportesArte%3A O Dia

Nesse horário, será impedido o trânsito de veículos particulares no bairro, e ônibus e táxis só circularão até às 14h. Será proibido estacionar em diversas ruas. Haverá terminais de ônibus na Enseada de Botafogo, em Ipanema, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, e no Corte do Cantagalo. Eles funcionarão a partir das 14h. Aecsso ao metrô só com bilhete especial.

A expectativa é que a missa, às 18h, reúna 1,5 milhão de pessoas. Haverá 35 postos de atendimento pré-hospitalar, 299 leitos e 266 médicos e central de regulação móvel. Em Copacabana, serão sete postos, 67 leitos e 91 médicos.

De manhã, o Papa recebe a chave da cidade no Palácio da Cidade. Depois, ele vai à favela de Varginha, em Manguinhos. Ao meio-dia, o Pontífice se encontra com peregrinos argentinos na Catedral.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia