Mais Lidas

Mulheres são libertadas após 10 anos em cativeiro nos EUA

Vítimas foram mantidas em prisão dentro da casa de Ariel Castro

Por nara.boechat

Estados Unidos - Três meninas que foram sequestradas há 10 anos e mantidas presas num calabouço de uma casa em Ohio, nos EUA, foram libertadas nesta segunda-feira. Amanda Berry, 26 anos, Gina Dejesus, 23 anos, e Michele Knight, 32 anos, foram sequestradas há uma década na mesma rua, a apenas 3 quilômetros de onde elas foram encontradas.

Amanda Berry (centro) com sua filha (direita) e sua irmãReprodução Internet

As vítimas foram mantidas em prisão dentro da casa de Ariel Castro, 52 anos, motorista de ônibus escolar, juntamente com seus outros dois irmãos, Pedro, 54 anos, e Oneil, de 50 anos, que não moravam na casa. A polícia de Clevelend prendeu os homens e disse acreditar que as mulheres eram amarradas em casa depois de capturadas. Relatórios confirmam que havia correntes penduradas no teto da casa. Vizinhos disseram ter visto muitas vezes Castro andando fora da casa com um menina de seis anos, filha de amanda Berry e concebida durante o tempo em que esteve presa.

Finalmente, depois de 10 anos detidas, as mulheres foram libertadas pouco antes das 6h desta segunda-feira após o vizinho Charles Ramsey ouvir os gritos vindo da casa ao lado enquanto fazia sua refeição. Charles foi até a uma porta da casa que se abria o suficiente para caber uma mão e com gritos vindo de dentro, "Ajude-me sair! Estive aqui há muito tempo", conseguiu arrombar a porta e libertar as vítimas.

As mulheres e a jovem menina foram levadas para o MetroHealth Medical Center, pois estariam supostamente sofrendo de desidratação grave e ligeira desnutrição. "O pesadelo acabou", disse o agente especial, Stephen Anthony do FBI.

"Estas três jovens nos forneceu a definição final de sobrevivência e perseverança. A cura pode começar agora. " completou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia