Por bferreira
Publicado 02/06/2013 23:50 | Atualizado 02/06/2013 23:55

Rio - Aparelho que funciona como GPS para os neurocirurgiões, indicando a localização de cada região cerebral, estará em breve disponível aos pacientes atendidos na rede municipal de Saúde. O neuronavegador, equipamento com tela e instrumentos especiais que guiam os médicos, reduz o tempo de cirurgia e os riscos de danos.

Durante as cirurgias%2C neuronavegador funciona como um GPS%2C guiando os médicos pelas regiões do cérebro Divulgação

De acordo com Ruy Monteiro, chefe da neurocirurgia do Hospital Miguel Couto, na Gávea, o equipamento pode ser utilizado em casos de tumor cerebral, aneurisma, Mal de Parkinson, além de lesão na coluna. Imagens da área a ser operada, captadas por exames de ressonância magnética e tomografia, funcionam como um ‘mapa’ por onde o médico será guiado.

“A tela mostra onde estão os instrumentos cirúrgicos e onde está a lesão a ser corrigida, tudo em tempo real”, diz.

A principal vantagem, segundo Ruy, é a maior precisão cirúrgica e a redução do risco de sequelas no paciente. Ele conta que, sem nova tecnologia, ao retirar um tumor, por exemplo, áreas do cérebro responsáveis por movimento e fala podem ser afetadas. Atualmente, as operações são baseadas em referências da anatomia e no conhecimento do médico. “Deixaremos de usar apenas parâmetros teóricos e veremos tudo na prática”, assinala.

Aparelho custa quase R$ 2 milhões

A previsão da Secretaria Municipal de Saúde é comprar dois aparelhos, que devem começar a ser utilizados em 2014. Um deles vai para o Hospital Miguel Couto. Cada máquina custa R$ 1,9 milhão. O neuronavegador é composto por sistema computadorizado, tela sensível ao toque e antenas com infravermelho. Os instrumentos utilizados na operação contêm pequenas esferas nas extremidades, responsáveis por captar os movimentos dos integrantes da equipe médica.

Você pode gostar