Ban Ki-moon expressa preocupação com aumento da violência no Iraque

Pelo menos 62 pessoas morreram e mais de 190 ficaram feridas em atentados com carros-bomba na terça-feira

Por julia.amin

Estados Unidos - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, demonstrou nesta terça-feira sua preocupação pelo aumento da violência no Iraque, e pediu aos partidos políticos que tentem dialogar para resolver a crise local.

"O secretário-geral está acompanhando a crise política e de segurança no Iraque, incluindo o aumento de violência que provocou um grande número de mortes nos últimos dois meses", disse o porta-voz da ONU, Martin Nesirky. Ban mandou suas condolências aos familiares das vítimas e fez um pedido para o governo iraquiano, para que faça o possível para levar à Justiça os responsáveis por tais atos.

Ban Ki-moon é o secretário-geral da ONUReprodução Internet


O Ban Ki-moon deu as boas-vindas à recente iniciativa de diálogo do presidente do partido xiita Conselho Supremo Islâmico, Emar al-Hakim, e a recente visita do primeiro-ministro, Nouri al-Maliki à região do Curdistão.

"Cabe a todas as partes redobrar seus esforços, para assegurar que não seja desperdiçado o momento para a reconciliação nacional em favor dos grupos que tentam reiniciar a violência no país", afirmou o porta-voz. Por último, Ban reiterou o compromisso das Nações Unidas e o da missão da entidade no país (Unami) para auxiliar o governo e o povo iraquiano na construção de um novo Iraque, democrático e próspero.

Pelo menos 62 pessoas morreram na terça-feira, entre elas soldados e policiais, e mais de 190 ficaram feridas em uma onda de atentados com carros-bomba em diferentes províncias do Iraque. No mês passado, ocorreu o maior número de mortes no Iraque nos últimos cinco anos, segundo dados da Unami.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia