Chefe do exército pede que egípcios saiam às ruas para apoiá-lo

'Todos os egípcios honrados devem ir às ruas. E por que ir? Para que me deem uma autorização e uma ordem para lutar contra a probabilidade de violência e terrorismo', diz Sisi

Por juliana.stefanelli

Cairo (Egito) - O chefe do exército egípcio, Abdel Fatah al Sisi, pediu nesta quarta-feira que os egípcios se manifestem na próxima sexta-feira para apoiar-lhe nas medidas para acabar com a violência no país, onde nos dois últimos dias morreram 14 pessoas.

"Todos os egípcios honrados devem ir às ruas. E por que ir? Para que me deem uma autorização e uma ordem para lutar contra a probabilidade de violência e terrorismo", disse Sisi em discurso televisionado durante uma cerimônia de graduação de estudantes de academias militares em Alexandria.

Sisi, também ministro da Defesa, fez a convocação depois que 14 pessoas morreram e 90 ficaram feridas em distúrbios nos dois últimos dias no Cairo durante os protestos de fiéis ao deposto presidente Mohammed Mursi. Acrescentou que não vão renunciar "nem por um momento" ao plano para dirigir a transição egípcia, que ele mesmo anunciou após a derrubada de Mursi por parte do exército no último dia 3. Esse roteiro inclui a reforma da Constituição, atualmente suspensa pelos militares, e a realização de eleições presidenciais antecipadas.

"Dissemos a todos que de verdade queremos eleições livres e transparentes", disse. Para a próxima sexta-feira, a Irmandade Muçulmana, grupo ao qual pertenceu o líder deposto até chegar à presidência, convocou protestos para rejeitar o golpe de estado militar e reiterar seu apoio a Mursi.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia