Detida diretora de escola indiana onde 23 crianças morreram envenenadas

Mulher estava desaparecida desde incidente que gerou fortes protestos na Índia

Por juliana.stefanelli

Nova Deli (Índia) - A diretora da escola indiana onde, na passada semana, 23 crianças morreram após ingerir comida contaminada com pesticidas foi detida nesta quarte-feira, informou a polícia local. A mulher estava desaparecida desde o incidente que gerou fortes protestos na Índia.

"A diretora entregou-se e foi detida para interrogatório", disse Sujeet Kumar, chefe da polícia do distrito de Saran, no estado de Bihar. Ainda segundo ele, a diretora precisa ser ouvida antes que acusações sejam feitas.

As 23 crianças, com idades entre 4 e 12 anos, morreram no dia 16 de julho, depois de terem comido lentilhas, batatas e arroz durante o almoço que é oferecido diariamente aos alunos pela escola.

Um pesticida agrícola muito tóxico foi encontrado no óleo usado para cozinhar o almoço das crianças. A investigação oficial ordenada pelo governo concluiu que a diretora do colégio de Masrakh, na cidade indiana de Gandaman, obrigou os alunos a almoçarem, mesmo depois de terem se queixado do aspecto e do cheiro da comida.

Ainda segundo as investigações, a diretora se negou a socorrer as crianças quando elas começaram a se sentir mal e as duas horas que foram perdidas “poderiam ser cruciais para salvar as crianças”. Um cozinheiro e outras 30 crianças foram levadas para o hospital e estão fora de perigo.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia