Espanha: Maquinista vira acusado no acidente que deixou dezenas de mortos

Condutor havia reconhecido que trem estava a uma velocidade de 190 km/h em uma curva onde o limite era de 80 km/h

Por helio.almeida

Espanha - Um tribunal de Santiago de Compostela (noroeste) ordenou nesta quinta-feira que a polícia tome o depoimento, como acusado, do maquinista do trem que descarrilou, causando a morte de 78 pessoas e deixando outras 178 feridas.

Parentes procuram informações sobre o acidente de trem que deixou mortos e feridosEfe

Fontes do Superior Tribunal de Justiça da Galícia informaram que o depoimento do maquinista, que permanece internado no Hospital de Santiago de Compostela, vai acontecer hoje diante da polícia judiciária, e não de um juiz.

A decisão de se recolher o depoimento do maquinista aconteceu depois que um juizado de instrução abriu um inquérito para investigar as causas do acidente. Até agora, a prioridade, segundo as mesmas fontes, era terminar os trabalhos de resgate e o levantamento dos corpos na ferrovia.

Após esse trabalho, o juiz instrutor se concentrará na investigação do acidente, que provavelmente incluirá o interrogatório do acompanhante do maquinista, dos passageiros e das testemunhas.

"Descarrilei, o que eu faço? O que eu faço?", foram as palavras do maquinista Francisco José Garzón em uma conversa telefônica após a tragédia. O maquinista e seu acompanhante sobreviveram ao acidente e participaram dos trabalhos de resgate.

Fontes da investigação informaram hoje à Efe que, após o fato, o condutor reconheceu que o trem estava a uma velocidade de 190 km/h em uma curva onde o limite era de 80 km/h.

Após o acidente, o maquinista manteve contatos por rádio assegurando que o trem estava em velocidade muito maior do que a indicada na curva onde aconteceu o acidente.

Fontes da investigação explicaram hoje que, após o acidente, o condutor também admitiu que o trem estava a uma velocidade de 190 km/h em uma conversa com o delegado do Governo da Espanha na Galícia, Samuel Juárez.

Dos 178 feridos, 32 adultos estão em estado crítico, assim como quatro crianças, segundo as autoridades locais.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia