Cantora de jazz Rita Reys morre aos 88 anos

'Voz de Reys ficará na história', afirma pianista holandês Louis Van Dijk

Por juliana.stefanelli

Bruxelas (Bélgica) - A cantora holandesa Rita Reys, que dedicou 70 anos de sua vida ao jazz, morreu na noite de sábado aos 88 anos, informou nesta segunda-feira o jornal holandês "Dutchnews". Reys, nomeada Primera-Dama do Jazz na Europa no festival de jazz Juan-les-Pins, no sul da França, compartilhou palco com grandes personalidades da música, como Dizzy Gillespie, Johnny Griffin, Art Blakey e Lester Young. A artista holandesa, cujo verdadeiro nome era Maria Everdina Reys, nasceu em Roterdã em 21 de dezembro de 1924.

Sua contribuição para o jazz foi reconhecida tanto dentro como fora de seu país, onde foi agraciada seis vezes com os prêmios Edison (o equivalente ao Grammy holandês). A artista holandesa consolidou seu nome em nível internacional em 1956, quando gravou nos estúdios da Columbia Records, em Nova York, seu álbum "The Cool Voice" com os Jazz Messengers, de Art Blakey. Posteriormente, Rita conquistaria o prestigiado prêmio internacional Bird Award, o Prêmio American Songbook e obteria até três discos de ouro ao longo de sua carreira.

O pianista holandês Louis van Dijk afirmou ao jornal holandês "AD" que a voz de Reys ficará na história, marcada pela autenticidade que a assemelha a outras grandes vozes do panorama internacional, como as de Frank Sinatra, Sarah Vaughan e Ella Fitzgerald.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia