Maquinista do trem descarrilado tem liberdade provisória na Espanha

Acidente deixou 79 mortos e 70 feridos

Por helio.almeida

Espanha - O juiz que atua no caso do acidente de trem em Santiago de Compostela ordenou neste domingo que o maquinista, Francisco José Garzón, responda em liberdade às acusações.

MaquinistaReuters

O motorista, de 52 anos, foi hoje ao tribunal para esclarecer as circunstâncias do acidente, que deixou 79 mortos depois que o trem descarrilou em uma curva próxima a Santiago de Compostela (Espanha).

Detido pela polícia na quinta-feira acusado de crime de negligência seguida de homicídio, o motorista foi posto à disposição da Justiça nesta tarde. Em sua declaração ao titular do tribunal número três de Santiago de Compostela, Luis Aláez, o réu admitiu ter cometido negligência.

Antes da declaração, o magistrado entregou às partes uma cópia do relatório policial sobre o acidente, ocorrido a poucos quilômetros da estação de Santiago, em Angrois. Durante as quase 72 horas que durou sua detenção policial, Garzón se reservou o direito de não se declarar.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia