Regulador nuclear japonês pede diálogo 'sincero' à operadora de Fukushima

Para que os reatores possam ser reativados, a autoridade nuclear deve garantir, com base nos novos padrões de segurança, que podem suportar desastres

Por clarissa.sardenberg

Japão - O presidente da Autoridade de Regulação Nuclear do Japão (NRA), Shunichi Tanaka, pediu nesta segunda-feira durante um encontro com o principal responsável da central de Fukushima, Naomi Hirose, um diálogo "sincero" para poder avançar na gestão da crise nuclear.

Tanaka fez o apelo ao presidente da central atômica durante o encontro realizado nos escritórios do regulador japonês em Tóquio.

O encontro aconteceu em um momento no qual a máxima autoridade nuclear japonesa expressou publicamente sua preocupação com a gestão da operadora Tokyo Electric Power (Tepco), sobretudo após uma concatenação de erros humanos e incidentes que propiciaram diversos vazamentos de água radioativa na usina.

Por sua vez, a Tepco entregou à NRA um relatório no qual analisa as causas dos últimos vazamentos radioativos na usina e propõe medidas para evitar novos incidentes.

Visita do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, à usina nuclear de FukushimaEfe

Durante sua reunião, o regulador mostrou suas dúvidas sobre como a Tepco pretende garantir a segurança da unidade Kashiwazaki-Kariwa, dada a redução de pessoal.

Neste sentido, a operadora de Fukushima apresentou no final de setembro uma solicitação para pedir uma inspeção de segurança de dois reatores dessa central de Niigata para poder reativá-los, um tema que segundo a agência "Kyodo" discutirão durante a reunião de hoje.

Para que os reatores possam ser reativados, a autoridade nuclear deve garantir, com base nos novos padrões de segurança vigentes desde julho, que são seguros e podem suportar desastres como o terremoto e tsunami de março de 2011 que provocou a crise nuclear.

Atualmente, o Japão está imerso em um blecaute nuclear total, pela segunda vez desde que foi decretada a crise em Fukushima, e depois que os dois únicos reatores em funcionamento, de Oi (oeste do país), foram desativados em meados de mês passado para as inspeções obrigatórias.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia