Manifestantes bloqueiam acesso à sede do governo ucraniano

Protesto é contra a decisão do governo de afastar-se de uma integração com a Europa e aproximar-se da Rússia

Por clarissa.sardenberg

Ucrânia - Cerca de mil manifestantes bloquearam o acesso ao prédio principal do governo da Ucrânia e ruas ao redor, nesta segunda-feira, impedindo funcionários públicos de chegar ao trabalho, em mais um protesto contra a decisão do governo de afastar-se de uma integração com a Europa.

Oposição cobra a renúncia do presidente devido à decisão de abandonar um acordo comercial com a UEReuters

Após um chamado da oposição por uma greve nacional contra a medida do presidente Viktor Yanukovich, que afastou-se da Europa para aproximar-se da Rússia, manifestantes bloquearam a principal via de acesso ao prédio do governo com lixeiras, contêineres de metal e até jarros de flores.

"Os funcionários não podem entrar no prédio. As negociações estão em andamento com os manifestantes para autorizar a entradas dos funcionários", disse um porta-voz do primeiro-ministro Mykola Azarov. Ele acrescentou que Azarov ainda não tinha ido trabalhar.

Os manifestantes concentraram os esforços no prédio do governo após uma manifestação com cerca de 350 mil pessoas, domingo, na capital Kiev, em que houve violência entre a polícia e manifestantes.

Yanukovich, que tem viagem à China marcada para esta terça-feira, ainda não se pronunciou.

Líderes da oposição cobram a renúncia do presidente devido à decisão de Yanukovich de abandonar um acordo comercial com a União Europeia, mesmo após anos de negociações cuidadosas. Ele decidiu voltar-se para a Rússia, antiga líder da Ucrânia na União Soviética.

Manifestantes bloquearam a principal via de acesso ao prédio do governo com lixeiras e contêineres Reuters


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia