Por thiago.antunes

França - Em dezembro, completa-se um século desde que a Mona Lisa, de Leonardo Da Vinci, voltou ao Museu do Louvre, em Paris, depois de uma ausência de dois anos. O roubo da obra-prima solidificou seu status como o quadro mais famoso do mundo. Mas, o ladrão Vincenzo Peruggia não era tão engenhoso como aparece nos filmes de Hollywood.

Pintura mede 77 cm x 53 cmReprodução

Ele entrou no Louvre e saiu com a pintura sem o mínimo de preparação, mas o feito causou sensação e criou um ícone. O roubo aconteceu numa segunda-feira, em agosto de 1911, dia em que o museu estava fechado. A ausência do quadro só foi notada no dia seguinte. 

A polícia começou a investigação e o centro permaneceu fechado durante uma semana em meio ao escândalo. Mona Lisa ficou desaparecida por mais de dois anos e foi recuperada em dezembro de 1913, quando Peruggia foi capturado ao entregar a obra a Alfredo Geri, um vendedor de antiguidades de Florença, na Itália.
Publicidade
É fácil entender o motivo que levou o incidente a provocar tanta sensação porque a Mona Lisa naquele momento ainda não era o quadro mais famoso do mundo. O que realmente a catapultou para a fama foi o roubo. A cobertura midiática do desaparecimento foi o principal motivador da fama mundial. Antes disso, muita gente nunca a tinha visto. Multidões passaram a ir ao Museu do Louvre só para ver o espaço vazio onde o pequeno retrato da mulher do século 16 costumava estar.
Você pode gostar