Por julia.sorella

Londres - O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, ofereceu nesta segunda-feira o "apoio" de seu país à Rússia para levar perante a justiça os autores do "repugnante" atentado suicida perpetrado na cidade de Volgogrado contra um ônibus.

Em sua conta pessoal no Twitter, o chefe do Executivo se pronunciou sobre esse último ato terrorista, que ocorre menos de 24 horas após outro ataque realizado contra a estação de ferrovia. "Estou surpreendido e entristecido pelos atentados em Volgogrado", assinalou Cameron em um tweet.

O líder acrescentou que escreveu ao presidente Putin "para dizer que o Reino Unido ajudará à Rússia em qualquer coisa que for possível". Tudo aponta que os atentados suicidas perpetrados nas últimas 24 horas nessa emblemática cidade, a antiga Stalingrado, foram perpetrados por radicais islamitas.

Por enquanto, as autoridades russas se abstiveram de apontar os culpados, apesar de terem certeza que ambos os ataques estão vinculados.

Volgogrado, antiga Estalinegrado, tem aproximadamente um milhão de habitantes e foi cenário em 21 de outubro do atentado mais grave ocorrido na Rússia nos últimos anos, quando um terrorista suicida oriundo do Cáucaso matou seis pessoas. Os atentados deixaram o governo russo em dúvida quanto à segurança dos Jogos Olímpicos de Inverno que serão realizados na cidade de Sochi e terão início em fevereiro. A cidade que sediará o evento fica a 690 km de onde ocorreu os atentados. O presidente russo, Vladimir Putin, pretende promover o país numa tentativa de mudar sua imagem perante à população russa.

Você pode gostar