ONU condena uso de crianças por milícia no Sudão do Sul

Entidade disse ter provas de crime

Por thiago.antunes

Sudão - A Organização das Nações Unidas (ONU) classificou como ‘desastre’ a situação do conflito no Sudão do Sul. Em declaração na quinta-feira, a entidade disse ter provas de que crianças são usadas como soldados do chamado ‘exército branco’ — ligado à milícia da tribo Nuer, no Estado de Jonglei. Massacres, detenções arbitrárias e violência sexual são algumas das outras violações registradas.

Refugiados do conflito no Sudão do Sul estão acampados em abrigos no Norte da Uganda%2C país vizinhoReuters

O conflito surgiu de uma disputa política entre os seguidores do presidente, da etnia Dinke, e os do vice-presidente, da etnia Nuer. A disputa, que já exterminou milhares de pessoas, e teve desdobramentos dramáticos, representa, nas palavras do secretário-geral assistente para Direitos Humanos da ONU, Ivan Simonovic, um “aterrorizante desastre de direitos humanos”.

“Os atos são passíveis de punição não apenas para quem comandou um crime, mas para quem não evitou que acontecesse”, afirmou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia