Começa nova fase de reuniões de famílias coreanas separadas pela guerra

Ao todo, 357 sul-coreanos, a maioria deles idosos, vão poder se reunir com 88 familiares norte-coreanos

Por fernanda.magalhaes

Japão - A segunda fase de reuniões de famílias coreanas separadas pela guerra ocorrida na península há mais de 60 anos começou neste domingo em um complexo turístico norte-coreano com a participação de mais de 400 pessoas.

Membros de uma família separada pela Guerra da Coreia se abraçam em lágrimas durante reunião realizada em resort na Coreia do Norte EFE

Ao todo, 357 sul-coreanos puderam se reunir com 88 familiares norte-coreanos, confirmou a agência sul-coreana "Yonhap".

Os encontros novamente foram marcados pelas lágrimas e a emotividade, já que os participantes, a maioria deles idosos, estavam há mais de seis décadas sem poder ver e falar com seus parentes do outro lado do paralelo 38.

"Cheguei a assumir que meu irmão estava morto e realizei cerimônias funerárias em sua honra. Estou tão contente por poder o ver!" comemorou em declarações divulgadas pela "Yonhap" o sul-coreano Lee Oh-soon, após se encontrar com seu irmão menor, de 83 anos, que reside na Coreia do Norte.

Este é o segundo ciclo de reuniões desta semana, depois do que foi realizado entre os dias 20 e 22 de fevereiro.

Neste sábado, as 82 famílias do Norte e do Sul que participaram da primeira rodada se despediram entre lágrimas após se reunirem durante três dias no complexo turístico norte-coreano de Monte Kumgang.

A segunda fase de encontros terminará nesta terça-feira. Ambos os países seguem tecnicamente em guerra, já que o conflito na península foi encerrada com um armistício e não um tratado de paz.

Centenas de milhares de coreanos não puderam manter contato com seus parentes em função da guerra, que confirmou a divisão em dois da península.

Espera-se que as reuniões de famílias divididas sejam um primeiro passo para que o Norte e Sul ponham fim às hostilidades e abram uma etapa duradoura de paz e entendimento.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia