Companhia aérea proíbe mãe de amamentar a bordo e gera polêmica no Twitter

Americana foi avisada que deveria extrair o leite para amamentar o filho de 10 semanas caso não pudesse se cobrir

Por clarissa.sardenberg

Estados Unidos - A Compania aérea norte-americana Delta Airlines provocou uma avalanche de manifestações na rede social Twitter após enviar um tweet para uma passageira dizendo que ela deveria se cobrir ao amamentar em uma das aeronaves da empresa. Lidsay Jaynes se preparava para viajar com o filho de 10 semanas em um voo que sairia de Orange County, na California, para Sarasota, na Florida no próximo mês.

Lindsay twitou para a @DeltaAssist perguntando sobre a política de amamentação da empresa e explicou que estaria com o filho recém-nascido de apenas 10 semanas. Ela disse que o bebê ainda não usa mamadeira e não se alimenta se coberto. "Lindsay, infelizmente você não pode amamentar sem fazer uso de uma coberta", respondeu a empresa.

Imediatamente diversos usuários do Twitter começaram um debate ameaçando até mesmo boicotar a empresa pela atitude. A mulher disse estar chocada com a atitude da Delta. "Esperava receber um diretório sobre a política deles para que pudesse imprimir para o caso de haver algum problema. Certa vez, ouvi a respeito de uma mulher que foi expulsa de um voo da Delta por amamentar sem fazer uso de uma coberta", contou Lindsay. Ela disse que a empresa não enviou nenhuma comunicação formal a respeito.

"Meu voo tem duração de seis horas e meu filho precisa comer a cada duas. O que vocês sugerem?", questionou Lindsay na rede social. A empresa respondeu que ela deveria extrair o leite e colocá-lo em uma mamadeira. "É permitido levar leite materno a bordo da aeronave", disse a Delta. O debate continuou sete horas depois: "Mesmo sendo permitido por lei que eu amamente sem estar coberta, vocês insistem que eu não posso fazê-lo? Há um posicionamento da Delta a respeito por escrito?", continuou Lindsay.

Após cerca de 1.200 tweets a respeito da polêmica, a Delta respondeu que "todas as mães e bebês em fase de amamentação são bem-vindos" e pediu desculpas pelo "mal entendido".

Lindsay conta que um porta-voz da empresa ligou para se desculpar e alegou que não tinham ciência das resposta que um funiconário estava dando. "Sou usuária da empresa há anos. Sinto que a questão não foi levada a sério", disse Lindsay. O pedido a respeito da política da empresa foi negado e ela não recebeu nenhum documento. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia