Venezuela: Maduro informa décima primeira morte relacionada aos protestos

Em discurso a centenas de idosos, ele informou sobre a morte do jovem no estado de Táchira

Por fernanda.magalhaes

Venezuela - O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, informou neste domingo a morte de um jovem no oeste do país apunhalado em uma barricada montada nos protestos que se repetem desde o dia 12 na Venezuela e que já custaram 11 vidas.

Em um discurso a centenas de idosos, que marcharam até o palácio presidencial em apoio a seu governo, Maduro disse que o jovem Danny Vargas morreu em uma "guarimba" (barricada popular) no estado Táchira, de fronteira com a Colômbia, quando foi esfaqueado por "um senhor humilhado" antes pelos manifestantes.

O presidente venezuelano Nicolás Maduro acompanhado de sua esposa cumprimenta neste domingo dezenas de idosos que caminharam em apoio ao seu governoEFE

Quando o jovem pretendia passar pela barricada, na qual não participava, relatou Maduro, chegou ao lugar uma pessoa que tinha sido agredida ali, a qual o matou com uma arma branca.

"Um senhor humilhado e um rapaz vítima da agressão dos guarimberos e depois a violência incontrolável: ambas, vítimas", disse Maduro, que denúncia uma tentativa de "golpe de Estado prolongado e fascista" contra ele, diante do qual prometeu "punho de ferro".

As manifestações se repetem diariamente na Venezuela desde o dia 12 e depois delas houve atos de violência que ainda neste domingo deixaram três mortos.

Tanto governo como oposição multiplicaram os apelos a que as manifestações aconteçam sem recorrer à violência, que além dos 11 mortos deixou mais de 150 feridos e dezenas de detidos.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia