Modelo brasileira é presa na China sob acusação de trabalho ilegal

Outras 60 profissionais de várias nacionalidades foram presas

Por clarissa.sardenberg

China - A gaúcha Amanda Griza, de 19 anos, foi presa acusada de trabalhar sem o visto de negócios na China na última semana. A modelo, que está no país asiático faz quase três meses, foi detida com outras 60 profissionais de várias nacionalidades - francesas, gregas, russas, italianas e norte-americanas - após participar de um falso teste para uma campanha montado pela polícia em Pequim.

Os pais de Amanda, Edson e Elena, afirmaram ter recebido notícias da jovem na noite de quarta por meio de um ex-diplomata. Antes disso, porém, eles ficaram mais de 72 horas sem nenhuma informação sobre a brasileira.

Amanda Griza, de 19 anos, está entre as modelos internacionais presas na China por trabalhar ilegalmente Reprodução Internet

Emocionado ao lado da mulher, Edson contou que a filha ficaria apenas mais alguns dias em Pequim, onde a prisão foi feita, antes de se mudar para Hong Kong. Ele diz ter acreditado na "boa fé" da agência que contratou a brasileira, acreditando que o visto obtido seria o suficiente para o trabalho no país.

Natural de Osório, Rio Grande do Sul, a família mora em Balneário Camboriú, Santa Catarina, há sete anos. Amanda atua como modelo desde os 11 anos de idade.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia