Quase 800 esqueletos de crianças são descobertos em convento irlandês

Historiadora descobriu certificados de óbito de irmandade de freiras que acolhia a mães solteiras, entre 1926 a 1961

Por clarissa.sardenberg

Irlanda - Cerca de 800 crianças e bebês, de idade entre 2 dias e 9 anos, foram encontrados enterrados em uma fossa sem identificação no que antigamente era um convento católico em Tuam, no condado irlandês de Galway, informa nesta quarta-feira o jornal The Guardian.

A historiadora irlandesa Catherine Corless descobriu certificados de óbito que indicam que centenas de crianças podem jazer no espaço que ocupava uma fossa séptica do edifício conhecido como "O lar", que acolhia a mães solteiras e que foi regido de 1926 a 1961 pela irmandade de freiras de Bon Secours.

Diante da polêmica gerada pela descoberta, os líderes religiosos do condado de Galway (oeste da Irlanda) negaram ter conhecimento das mortes e se comprometeram a arrecadar fundos para construir um monumento em memória dos 796 menores falecidos.

Quase 800 esqueletos de crianças e bebês foram descobertos no que era um convento católico na IrlandaReprodução Facebook Catherine Corless

Os registros descobertos por Corless demonstram que as crianças morreram principalmente por doenças como tuberculose, infecções, defeitos de nascimento e partos prematuros, detalha a matéria. Uma inspeção governamental de 1944 constata desnutrição em algumas das 271 crianças que na época viviam com suas 61 mães não casadas no convento, que anteriormente tinha sido uma casa de trabalho para indigentes adultos e que faz décadas se demoliu para construir casas.

Na primeira metade do século XX, Irlanda tinha um dos piores índices de mortalidade infantil de toda Europa. Segundo Corless, a fossa foi descoberta nas últimas décadas por moradores da região, que erigiram na região um pequeno templo à virgem Maria.

Os registros encontrados pela historiadora confirmam a existência dos bebês mortos, por isso uma comissão local, na qual ela mesma participa, pediu uma investigação pública e a escavação do lugar, onde desejam que se instale um monumento. Segundo "The Guardian", o arcebispo de Tuam, Michael Neary, deve se reunir com os dirigentes da ordem do Bon Secours para reunir fundos para uma placa comemorativa e realizar um serviço religioso em memória dos falecidos.

O governo irlandês, que por enquanto não se pronunciou sobre o caso, revelou nos últimos tempos quatro grandes investigações sobre abusos cometidos em conventos católicos e encobertos pelas autoridades religiosas e políticas.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia