Ucrânia deixa separatistas sem alimentos em cerco no leste do país

Fornecimento de suprimentos foi cortado e estabelecimentos só têm para vender o que há no estoque

Por clarissa.sardenberg

Ucrânia - O suprimento de alimentos para Luhansk, no leste da Ucrânia, que está sob controle dos rebeldes separatistas, foi cortado durante a ofensiva das forças de segurança do governo para tentar retomar a cidade, disseram autoridades locais nesta quinta-feira.

Segundo a ONU, mais de mil foram mortos Reuters

O Exército ucraniano informou que praticamente fechou o cerco a Luhansk, mas abriu um corredor humanitário para permitir a saída de moradores. Os militares disseram ainda que não estão disparando contra áreas residenciais, mas há informações de que três pessoas foram mortas em bombardeios durante a noite.

"Mercearias, mercados e redes de grandes supermercados operam intermitentemente. As entregas de alimentos para a cidade pararam, os suprimentos estão diminuindo a cada dia. Os mercados só têm à venda produtos de seus estoques", disseram autoridades da cidade em um comunicado em seu website.

A Organização das Nações Unidas (ONU) diz que mais de mil pessoas foram mortas no conflito na Ucrânia desde meados de abril, quando separatistas pró-Rússia se rebelaram em províncias do leste onde a maioria dos habitantes fala russo, o que levou o governo central da Ucrânia a lançar uma operação chamada de "antiterrorista" para tentar cessar a revolta.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia