Israel retira tropas de Gaza e cessar-fogo de 72 horas é iniciado

Minutos antes de a trégua começar, Hamas lançou salva de foguetes que chamou de 'vingança' por massacres israelenses

Por clarissa.sardenberg

Gaza/Jerusalém - Israel retirou suas forças terrestres da Faixa de Gaza nesta terça-feira e começou um cessar-fogo de 72 horas com o Hamas mediado pelo Egito, como um primeiro passo para as negociações pelo fim de uma guerra que já dura um mês.

Minutos antes de a trégua entrar em vigor às 8h da manhã (2h no horário de Brasília), o Hamas lançou uma salva de foguetes, chamando-os de "vingança" pelo massacres de Israel.

O sistema antimíssil de Israel abateu um foguete sobre Jerusalém, segundo a polícia. Outro atingiu uma casa em uma cidade perto de Belém, na Cisjordânia ocupada. Não houve vítimas.

Soldados israelenses comemoram saída de Gaza e volta para casaReuters

Tropas e tanques israelenses se retiraram da Faixa de Gaza diante da trégua. Um porta-voz militar disse que o principal objetivo da missão terrestre, destruir túneis de infiltração transfronteiriços, foi concluído.

"Missão cumprida", disse o Exército no Twitter.

Os militares e veículos serão "redistribuídos em posições defensivas fora da Faixa de Gaza e vamos manter essas posições defensivas", disse o porta-voz, tenente-coronel Peter Lerner, refletindo a prontidão de Israel para retomar a lutar em caso de ataque de militantes.

Em Gaza, onde cerca de meio milhão de pessoas deixaram suas casas por um mês de matança, alguns moradores, carregando colchões e com filhos a tiracolo, deixaram abrigos da ONU a caminhavam de volta para os bairros onde quarteirões inteiros foram destruídos por bombardeios israelenses e o cheiro de corpos em decomposição é forte.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia