Manifestantes pedem o fim da guerra em Gaza

Protestos tomam conta de cidades como Londres, Paris e Berlim

Por felipe.martins , felipe.martins

Londres, Berlim e Gaza - Milhares de pessoas foram às ruas ontem para protestar contra a ofensiva israelense na Faixa de Gaza. Em Berlim, na Alemanha, os manifestantes exigiram que o governo e o parlamento alemães atuem para proteger a população palestina. Cerca de 1.500 pessoas, segundo a polícia, marcharam pelo centro da capital alemã até se reunirem em um local onde foi lido um manifesto, assinado por 350 personalidades do mundo da cultura, pedindo o fim do conflito.

Em Londres%2C manifestantes levam cartazes em prol da PalestinaReuters

Em Londres, na Inglaterra, um protesto pacífico foi organizado pela coalizão Stop The War. Segundo a polícia local, cerca de 20 mil pessoas marcharam carregando bandeiras da Palestina. Também houve manifestações no Irã, na África do Sul, na Austrália e na França.

Os ministros das Relações Exteriores da França, Alemanha e do Reino Unido pediram ontem um “cessar-fogo imediato” na Faixa de Gaza e apoiaram os esforços de mediação do Egito. “Todas as partes presentes deveriam tomar imediatamente medidas para responder às necessidades humanitárias, inclusive facilitando o acesso às povoações civis”, afirmaram em comunicado conjunto os chefes da diplomacia francesa, Laurent Fabius; britânica, Philippe Hammond, e alemã, Frank-Walter Steinmeier.

Apesar dos protestos, os atques continuaram ontem. Segundo fontes médicas locais, pelo menos cinco palestinos morreram e cerca de dez ficaram feridos nos últimos bombardeios da Força Aérea israelense sobre a Faixa de Gaza, desde que as milícias palestinas dispararam cerca de 26 foguetes.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia