Ucrânia recua e entrega aos separatistas o aeroporto de Lugansk

Após sucesso na operação de Kiev, rebeldes lançaram contra-ofensiva cujo êxito é explicado pela entrada de russos no país

Por clarissa.sardenberg

Ucrânia - As tropas ucranianas entregaram nesta segunda-feira aos separatistas pró-Rússia o aeroporto internacional de Lugansk, no leste da Ucrânia, após manter ferrenhos combates pelo local nas últimas horas. "Os militares ucranianos na frente de Lugansk receberam a ordem e recuaram ordenadamente desde o aeroporto "Lugansk" e a cidade de Gueorguievka", reconheceu em entrevista coletiva o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional e Defesa da Ucrânia (CSND), Andrei Lisenko.

Pouco antes, o centro de imprensa da operação antiterrorista ucraniana denunciou que os paraquedistas no aeroporto estavam lutando contra unidades de blindados russos. "Levando em conta a precisão dos disparos, a canhonada (contra o recinto) foi realizada por artilheiros profissionais das Forças Armadas da Federação da Rússia", disse por sua vez Lisenko. O porta-voz do CSND também denunciou a "grande concentração de forças russas ao redor da cidade de Latugino (nas proximidades da cidade de Lugansk) e nos acessos à cidade de Schastie".

Em Lugansk e Donetsk combatem ao menos quatro batalhões russos, com cerca de 400 militares cada um Reuters

Os combates pelo recinto aeroportuário não cessaram praticamente em nenhum momento desde que foi tomado pelas tropas ucranianas no mês de junho. Após vários meses de combates nos quais as forças ucranianas não deixaram de recuperar terreno dos separatistas pró-Rússia, os rebeldes lançaram há uma semana uma ampla contra-ofensiva cujo êxito foi explicado pelo governo ucraniano com a entrada de tropas regulares russas no leste da Ucrânia.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, denunciou a participação direta de unidades russas nos combates contra as tropas ucranianas e pediu apoio ao Ocidente para conter a agressão de Moscou. Lisenko assegurou nesta segunda-feira que em território das rebeldes regiões de Lugansk e Donetsk combatem pelo menos quatro batalhões táticos do exército russo, formados por cerca de 400 militares cada um e reforçados com artilharia e sistemas de defesa antiaérea.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia