Menina francesa queria ser terrorista

Polícia prende adolescente de 16 anos que iria para a Síria se unir a grupo fundamentalista islâmico

Por felipe.martins , felipe.martins

Paris, Londres e Bagdá - Uma adolescente de 16 anos, que pretendia ir para a Síria e se juntar a um grupo fundamentalista islâmico armado, foi presa no aeroporto da cidade de Nice, na França. A polícia investiga se os pais da garota sabiam de seus planos. A revista americana ‘Time’ informou que a jovem foi capturada pouco antes de embarcar num voo para a Turquia. Um rapaz de 20 anos foi preso junto com ela, acusado de ser o ‘recrutador’ da aspirante a terrorista. Ele teria pago a passagem da francesa.

Duas outras adolescentes francesas foram detidas em circunstâncias semelhantes na semana passada. De acordo com o governo da França, cerca de 800 cidadãos do país europeu já foram para a Síria para lutar ao lado de extremistas. O ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, solicitou aos pais que liguem para número de emergência criado em abril se suspeitarem que os filhos estão com sinais de “radicalização violenta”. A linha já recebeu 300 chamadas desde que começou a funcionar: 25% das denúncias eram sobre menores de idade e 45%, sobre mulheres.

Jovens milicianos xiitas do Iraque retomaram ontem Amerli e outras cidades%2C que estavam sob o domínio de sunitas do Estado Islâmico Reuters

Nesta segunda-feira, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou o endurecimento de leis antiterroristas, o que permitirá à polícia apreender os passaportes de supostos ‘jihadistas’ que voltem ao Reino Unido após temporadas na Síria e no Iraque.

O serviço secreto calcula que cerca de 500 muçulmanos britânicos viajaram para aqueles dois países para combater ao lado dos extremistas do Estado Islâmico (EI), dos quais 250 podem ter retornado ao Reino Unido, o que deixaria o país sob risco de ataques. Semana passada o governo elevou para ‘grave’ — 4º grau de uma escala de cinco — o nível de alerta para terrorismo em solo inglês. Cameron também anunciou no Parlamento que as companhias aéreas terão que fornecer mais detalhes sobre os passageiros, sob pena de não poderem pousar, e que os suspeitos que vivem no Reino Unido enfrentarão restrições a sua liberdade.

ENTENDA A ATUAÇÃO DO GRUPO ESTADO ISLÂMICO

A ORGANIZAÇÃO
O Estado Islâmico (EI) é um grupo muçulmano extremista fundado em 2004 no Iraque, como braço da Al-Qaeda, com a qual rompeu depois. Islâmicos sunitas, seus militantes consideram os xiitas, maior facção no Iraque, como infiéis que têm de morrer. Já os cristãos ‘podem’ viver, desde que virem islâmicos.

O QUE O GRUPO QUER
O objetivo do EI é criar um estado muçulmano que inclua zonas sunitas do Iraque e da Síria. O EI tem apoio de sunitas descontentes com o presidente sírio, Bashar Al-Assad, e com o governo iraquiano xiita.

OS CURDOS
Povo original da região do Curdistão, que inclui áreas de Turquia, Iraque, Irã, Síria e Armênia. Há um mês, o EI invadiu zonas curdas ao norte do Iraque e também assumiu o controle de Sinjar, a 50 km da fronteira com a Síria, expulsando quase 200 mil pessoas.

APOIO ALEMÃO
Ontem, o governo da Alemanha decidiu armar os curdos no norte do Iraque, para combater o EI, com mísseis antitanques, lança-granadas, fuzis, pistolas e granadas.

BOMBARDEIO DOS EUA
A onda de violência começou nos últimos meses no Iraque e na Síria, quando o EI passou a tomar importantes cidades e anunciou que pretende chegar em Bagdá, capital iraquiana. Os Estados Unidos vêm fazendo bombardeios aéreos para combater o EI.

MISSÃO DA ONU
A ONU aprovou ontem envio de missão de emergência ao Iraque para investigar crimes de guerra e contra a Humanidade.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia