O mistério dos desmaios em série de garotas colombianas

Ministro da Saúde chegou a falar em surto de ‘medo coletivo’

Por felipe.martins , felipe.martins

El Carmen de Bolivar -  Um mistério envolve mais de 200 meninas na cidade El Carmen de Bolívar, norte da Colômbia, há 15 dias. Adolescentes desmaiaram, tiveram tonturas, dor de cabeça e formigamento em várias partes do corpo. Até ontem, não existia um diagnóstico preciso.

Desde o início do ano, 276 casos parecidos foram registrados, segundo o prefeito, Francisco Veja. Quase todas as estudantes são do Colégio Espírito Santo. O ministro da Saúde da Colômbia, Alejandro Gaviria, alertou que “246 garotas apareceram com sintomas bizarros”.

Maioria das vítimas pertence a uma única escola. Autoridades investigam causa do mal-estar em massaReprodução

O caso levantou diferentes explicações entre os colombianos, inclusive que os desmaios seriam uma reação à vacina contra o vírus HPV, que protege as mulheres do câncer de colo de útero. Outras suspeitas estão ligadas a intoxicação. Duas meninas atendidas no Hospital Universitário de San José, em Bogotá, tinham sinais de chumbo.

Para acabar com as especulações que podem prejudicar a vacinação no país, Gaviria convocou uma coletiva em que revelou a hipótese “mais provável até agora”. Segundo o ministro, os sintomas seriam “resposta psicogênica em massa”, espécie de sugestão de ‘medo coletivo’ que contagia e termina apresentando um ‘fenômeno estranho’.

Ele esclareceu que, apesar dos sinais, médicos não identificaram doenças clínicas. A ideia é estudar o caso com a Associação Colombiana de Psiquiatria. Sobre a vacina contra o HPV, o ministro afirmou: “Não há relação entre as duas coisas."

O discurso do Ministério da Saúde não agradou às famílias das garotas, que protestaram. As autoridades garantem que o diagnóstico sairá em uma semana.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia