Homem abre fogo e atinge soldado perto do Parlamento do Canadá

Incidente acontece dois dias após um militante islâmico ter atropelado dois militares canadenses

Por clarissa.sardenberg

Canadá - Um homem, ainda não identificado, baleou nesta quarta-feira um soldado que estava no Memorial da Guerra, monumento que fica a poucos metros do Parlamento do Canadá, em Ottawa. Após a ação, o responsável pelos tiros foi visto correndo em direção ao Parlamento, onde outros foram disparados, de acordo com relatos de testemunhas e informações da mídia local.

O edifício do Parlamento foi fechado, e policiais e equipes táticas estão na região fazendo uma operação de busca para encontrar o atirador. Autoridades recomendam que a população permaneça em casa até que a situação esteja normalizada.

Fotos: Tiroteio fecha Parlamento canadense 

Parlamento foi fechado após atirador disparar em soldado canadense e abrir fogo perto do Parlamento Reuters

O incidente acontece dois dias após um militante islâmico ter atropelado dois soldados canadenses, matando um, perto de Montreal.

O primeiro-ministro Stephen Harper, que estava dentro do edifício, já está a salvo, depois de ter sido retirado as pressas do prédio, segundo as primeiras informações da imprensa canadense. O soldado atingido foi encaminhado para o hospital em uma ambulância.

Policiais e equipes táticas foram encaminhados para operação no Parlamento canadense Reuters

Autoridades americanas foram informadas e também estão em alerta. 

Um operário da construção que estava no local afirmou que ouviu um tiro e depois viu um homem, vestindo preto com um lenço cobrindo seu rosto, correndo em direção ao prédio principal do Parlamento com uma arma na mão.

O homem parou um carro preto e o sequestrou, disse o operário Scott Walsh à Reuters. O motorista que estava no carro saiu em segurança, e o homem seguiu dirigindo em direção ao Parlamento, onde há um prédio em obras.

O homem armado passou por uma mulher, com uma criança em um carrinho, que fugiu gritando. Ele não atacou a mulher nem a criança, disse Walsh.

Um repórter do jornal Globe and Mail, que estava no prédio principal do Parlamento, tuitou que o prédio foi fechado depois que "ao menos um atirador o invadiu e abriu fogo".


*Com informações da EFE e Reuters

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia