Atentados a tiros deixam 2 mortos e põem Canadá em alerta contra terror

Atiradores atacam Parlamento, memorial de guerra e shopping em Ottawa. Um soldado foi morto e um suspeito, baleado

Por bianca.lobianco

Rio - Ataques a tiros no Parlamento no Memorial de Guerra e em um shopping center em Ottawa deixaram em estado de alerta a capital do Canadá. Um soldado foi baleado no Memorial de Guerra e morreu no hospital. Um suspeito foi baleado e morto. As autoridades não revelaram a identidade dele para não atrapalhar as investigações. O população local foi orientada a evitar sair de casa. Houve corte de energia elétrica e sinal de telefone em pontos da cidade. As autoridades não descartam que os três ataques a tiros tenha ligação com grupos terroristas.

Por volta das 16h30 (hora de Brasília) autoridades deram entrevista coletiva breve e cautelosa em que evitaram revelar detalhes e pediram ajuda à população para identificar suspeitos. As autoridades disseram apenas que evento está em desenvolvimento, que todos os recursos estão sendo empregados, e que muitas perguntas continuam sem resposta.

Segundo as autoridades, às 9h52 (hora local) uma ligação para o serviço de emergência 911 alertou sobre tiros na área do parlamento. Isso deu início a uma verdadeira operação de guerra na cidade. Forças de segurança começaram a vasculhar prédios em busca de suspeitos. Funcionários foram mantidos no Parlamento durante a tarde e liberados após triagem.

Informações das indentidades dos suspeitos e das motivações dos tiroteios ainda são indefinidas pelo governo canandense. Na fuga, um suspeito foi morto dentro do prédio. Já o soldado que foi atingido pelo acusado não resistiu aos ferimentos e morreu momentos depois. 

O primeiro-ministro do Canadá estava no prédio e conseguiu ser retirado em segurança. Três pessoas ficaram feridas, dentre elas, um guarda de prédios nas proximidades do Parlamento, conforme informou o ministro chefe de gabinete do Canadá Jason Kenney. Duas estão estáveis e outra em estado grave.

Os agentes cercaram as ruas do perímetro do Parlamento para fazer uma varredura em busca de outros envolvidos e a segurança foi reforçada. Na Universsidade de Ottawa, onde estudam 50 mil alunos, o clima é de tensão e todos estão confinados em seus dormitórios.

A embaixada canadense em Whashington está fechada, assim como a embaixada dos Estados Unidos no Canadá. Desde que autoridades norte-americanas foram informadas sobre o tiroteio, os dois países cooperam em sistema de alerta para apurar uma possível operação terrorista.

As empresas aéreas americanas e canandenses foram colocadas em estado de alerta.

Operação policial foi montada no entorno do Parlamento do Canadá após homem abrir fogo em Memorial e atingir soldado Foto%3A Reuters

EUA oferecem ajuda ao Canadá após tiroteio em Ottawa

Os Estados Unidos ofereceram ajuda ao Canadá nesta quarta-feira após o tiroteio no prédio do Parlamento canadense em Ottawa, segundo informou a Casa Branca.

O porta-voz Josh Earnest disse que autoridades da Casa Branca estão trabalhando para combinar um telefonema entre o presidente norte-americano, Barack Obama, e o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, para discutir o incidente. Ele disse que o pensamento e as orações dos norte-americanos estão com o povo canadense e enfatizou a força das relações entre Estados Unidos e Canadá.

Earnest declarou a jornalistas que autoridades dos EUA, incluindo da Casa Branca, estão em contato com autoridades canadenses para oferecer ajuda.

Ele disse que as autoridades norte-americanas não estão em posição de afirmar se o tiroteio foi um ataque terrorista.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia