Calor e ar-condicionado: inimigos da saúde dos olhos

Especialistas orientam sobre como escapar da desidratação e do ressecamento ocular

Por tiago.frederico

Rio - As altas temperaturas e a baixa umidade do ar prejudicam o corpo todo. Os olhos também merecem cuidados, pois podem sofrer ressecamento ou até desidratação, que causam fortes desconfortos. Mas fique atento: a saída para amenizar o calor, que é se refugiar no ar-condicionado, também faz mal à saúde ocular, já que ambientes refrigerados diminuem a quantidade de lágrimas. O jeito é tentar alternar períodos ao ar-livre com aqueles em locais climatizados e, principalmente, beber muita água.

“O calor em si já provoca maior ressecamento dos olhos e os aparelhos refrigeradores pioram a situação. Eles tiram ainda mais a umidade do ar. Ficar muitas horas em frente ao computador ou ao tablet também não é recomendado”, afirma Renata Rezende, oftalmologista do Hospital São Vicente de Paulo.

Colírios que têm o efeito de lágrimas podem ser prescritos por médicos para amenizar o problemaIstock

Tomar pouco líquido, ficar exposto ao vento quente, como o do secador de cabelo, e ainda fazer exercícios físicos em locais poluídos são outros hábitos que prejudicam a saúde ocular.

“A estabilidade da lágrima depende do ambiente onde a pessoa está, e a poluição contribui para o ressecamento. Não há um filtro para impedir a passagem do ar poluído para a região ocular, por exemplo”, acrescenta.

O especialista Leôncio Queiroz, do Instituto Penido Burnier, sugere beber dois litros de água e comer cinco porções de frutas, verduras e legumes por dia. “Para ajudar na produção de lágrimas, as pessoas podem optar por comer alimentos fontes de ômega 3, como linhaça, nozes, salmão e bacalhau. E devem evitar bebidas alcoólicas, chá branco ou preto, ou alimentos que dão um efeito diurético”, diz. “Se o paciente já estiver com o problema, é preciso a aplicação de colírio específico de lágrima artificial, com prescrição médica”, acrescenta.

Os sintomas da desidratação podem ser confundidos com os de conjuntivite, como ardência, coceira, vermelhidão e sensação de areia nos olhos. Mas, em certos casos, há lacrimejamento. Com a secura, a área ocular fica mais suscetível a contrair algumas doenças, como ceratocone, mal que deforma a córnea; e ceratite, quando há inflamação.

Escudo contra bactérias

É importante não deixar de tratar o problema: “A lágrima tem a função de proteger os olhos, eliminando as impurezas da superfície ocular contra bactérias”, explica o oftalmologista Leôncio Queiroz.

Ele alerta que, além de problemas ambientais, outros fatores que podem causar a secura ocular são físicos. “A produção lacrimal diminui com idade, então os idosos costumam ter olhos secos. Já na menopausa e até no período menstrual, os hormônios sexuais femininos consomem água. A estimativa é que para dez casos de olho seco, nove são de mulheres”, exemplifica.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia