Metabolismo acelerado é o segredo de ‘comilões’ magros

Características genéticas e comportamento ativo garantem os quilos a menos

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Enquanto muita gente passa por privações para emagrecer, há quem coma à vontade sem ganhar peso. É o caso da atriz Maria João, 39 anos. Em gravação do programa ‘Estrelas’, da ‘TV Globo’, que vai ao ar amanhã, a Diana na novela ‘Boogie Oogie’ garantiu que o consumo de bacalhau, pão de queijo, feijoada e doces em geral — seus pratos preferidos — não altera os seus 54 kg, distribuídos em 1,71 m.

Maria João%2C atriz%2C não abre mão de doces%2C pão de queijo e feijoadaDivulgação

Maria João, que se classifica como um ‘bom garfo’, gíria portuguesa para quem come bem, garante que sua magreza vem da infância. “Sempre comi de tudo e nunca engordei nem sofro com oscilações de peso. Acho que é algo genético, tenho o metabolismo muito rápido”, declara.

A atriz pode ter razão. Segundo a endocrinologista do Hospital Adventista Silvestre Lúcia Carpilovsky, pais podem passar para os filhos um metabolismo mais acelerado, o que os faz queimar mais calorias e comer com maior liberdade. Mas não é só isso. “O ambiente também determina. A oferta de comida em casa e a educação alimentar dada pelos pais são fundamentais”, aponta a especialista.

Outra causa para os ‘magros de ruim’ está nos primeiros anos de vida. Crianças magras tendem a não ganhar tanto peso na fase adulta. “As células de gordura se formam na infância. Os magros levam menos células para a vida adulta e têm facilidade de emagrecer quando forem mais velhos”, explica Lúcia.

Além da genética, a rotina também influencia na questão. “Quem trabalha fazendo esforço físico vai gastar mais calorias e, com isso, comer mais sem ganhar peso”, argumenta a endocrinologista Ana Cristina Belsito, do Hospital São Vicente de Paulo.

No entanto, liberdade para comer não significa falta de regra na dieta. “Há magros com colesterol alto e hipertensão. Alimentação saudável é sempre necessária”, afirma Lúcia. Já quem se incomoda com a magreza e quer ganhar peso, terá problemas. “É muito díficil. O ideal é combinar exercício e suplementação”, diz Ana.

“Sempre comi bem e nunca tive variação de peso” 

“Desde a infância, sempre comi bem e nunca tive variação no meu peso. Doces são minha perdição e, aqui no Brasil, amo pão de queijo, como todos os dias. Não temos essa comida em Portugal. Mas, há cerca de dois anos, comecei a me preocupar mais com a qualidade da alimentação. Como não engordava, não me policiava, mas agora continuo comendo fritura e doce, mas estou mais alerta em relação à saúde.

Em relação aos exercícios, não faço nada de muito rigoroso. Gosto de pilates, ioga e de andar de bicicleta na Lagoa. Trabalho também com personal trainer, mas não tenho nem horário nem rotina de treinos.”

Maria João, atriz, 39 anos 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia