Caixa-preta indica que um dos pilotos foi trancado para fora da cabine

'O cara do lado de fora está batendo de leve na porta e não há nenhuma resposta', diz o New York Times, citando um investigador não identificado

Por tamara.coimbra

França - A análise da primeira caixa preta encontrada na última terça-feira, mostrou, de acordo com reportagem do jornal New York Times, que um dos pilotos saiu da cabine e não conseguiu retornar. Ele é ouvido batendo na porta com crescente urgência em uma tentativa frustrada de voltar.

O chefe do departamento de investigação de acidentes da França Remi Jouty, informou nesta quarta-feira que foram gravadas vozes mas ainda não há uma explicação para o acidente com o avião A320 da Germanwings, que vitimou 150 pessoas.

"No início do voo, é possível ouvir a tripulação falando normalmente, então se escuta o ruído de uma cadeira se movendo e a porta abrindo e fechando. Depois há ruídos que indicam alguém chamando na porta e não há mais diálogo a partir deste momento até a queda", disse a fonte, que teve acesso à caixa-preta, confirmando uma informação do jornal.

Imagem de 2013 da cabine do avião Airbus A320 que caiu nos Alpes francesesReuters

"O cara do lado de fora está batendo de leve na porta e não há nenhuma resposta. Então ele bate a porta mais forte e não houve resposta. Nunca há uma resposta", diz o jornal, citando um investigador não identificado. "Você pode ouvir que ele está tentando derrubar a porta".

Nos novos aviões da Airbus, para abrir a porta trancada, um comandante dentro da cabine precisa destravá-la de dentro, através de uma chave no painel. Nas gravações, como não há voz de dentro da cabine, é possível presumir que o piloto que estava no comando não teria experimentado um problema técnico, já que teria relatado a situação.

O investigador, a quem o jornal disse que não pôde ser identificado porque a investigação está em andamento, disse ainda no final da gravação, ouve-se os alarmes que indicam a aproximação com a montanha e que não se sabe por que o piloto deixou a cabine. A fonte também não quis especular sobre por que o outro piloto não abriu a porta ou fez contato com o controle em terra antes do acidente.

As autoridades francesas não deram detalhes sobre a gravação e salientando que a causa do acidente ainda é desconhecida. Mas disseram que a descida foi gradual o suficiente para sugerir que o avião estava sob o controle de seus navegadores.

Caixa-preta é encontrada danificadaReuters

Remi Jouty disse ainda que "sons e vozes" foram registradas no arquivo de áudio digital recuperado da primeira caixa preta, mas o conteúdo não será divulgado. Enfatizou que seriam necessários dias ou semanas pra decifrá-los totalmente. "É trabalhoso de entender vozes, sons, alarmes e atribuição de vozes diferentes", afirmou.

Lufthansa não confirma a informação

O grupo alemão Lufthansa, ao qual pertence a companhia aérea Germanwings, afirmou nesta quinta-feira que não pode confirmar a informação que um dos pilotos do voo que caiu na terça-feira nos Alpes franceses não se encontrava na cabine no momento do acidente.

Em entrevista à agência de notícias alemã DPA, um porta-voz da companhia aérea disse "não ter atualmente nenhuma informação que possa confirmar o relatório do 'The New York Times'", em referência à informação exclusiva divulgada ontem pelo jornal americano.

No entanto, a companhia aérea se comprometeu a obter toda a informação sobre a tragédia, na qual morreram 150 pessoas, e pediu que não se faça "especulações" sobre as causas do acidente.

Segunda caixa preta

O presidente francês, François Hollande, chegou a declarar que a segunda caixa preta, onde contem as gravações de dados de voo tinha sido encontrada nos escombros, mas estaria faltando o cartão de memória que captura o equivalente a 25 horas de informações sobre a posição e condição do avião. Jouty se recusou a confirmar a descoberta.

Com informações da EFE

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia