Malária ainda mata 600 mil pessoas por ano, segundo a OMS

Crescente resistência do parasita da malária ao medicamento de última geração está acentuando as fragilidades

Por victor.duarte

Suíça - A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou nesta quinta-feira para o elevado número de mortes – 600 mil – em todo o mundo causadas pela malária. Para a OMS é urgente que as autoridades reforcem as ações as ações de prevenção e combate a doença. A crescente resistência do parasita da malária ao medicamento de última geração artemisinin está acentuando as fragilidades na prevenção, no diagnóstico e no tratamento da doença, ressalta a entidade.

Malária ainda mata 600 mil pessoas por ano, segundo a Organização Mundial da SaúdeAgência Brasil

Richard Cibulskis, coordenador do Programa de Malária Global da OMS, destacou os progressos na luta contra a doença. Ele disse que entre 2000 e 2013 a incidência global da malária caiu 30% e o número de mortes caiu 40%.

Ainda assim, a luta não está ganha, disse Cibulskis na véspera do Dia Mundial da Luta contra a Malária, celebrado no dia 25 de abril.

A doença matou 584 mil pessoas em 2013, crianças abaixo dos cinco anos representam pelo menos três quartos dessas mortes, segundo dados divulgados pela OMS. A entidade estima que 278 milhões de pessoas ainda não têm acesso às redes mosquiteiras com inseticida que protegem as populações da doença.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia