EUA, Índia e China anunciam envio de ajuda a países atingidos por terremoto

Até o momento, não há registro de brasileiros feridos ou entre as vítimas, segundo o Ministério das Relações Exteriores

Por luis.araujo

Nepal - Índia, China e os Estados Unidos anunciaram o envio de equipes e ajuda humanitária para auxiliar no socorro às vítimas do terremoto de magnitude 7,8 na escala Richter ocorrido no final da manhã deste sábado, matando mais de mil pessoas e deixando mais de 1,7 mil feridos no Nepal e ocasionando destruição e vítimas também na Índia, Paquistão e Bangladesh, Tibete e China. Até o momento, não há registro de brasileiros feridos ou entre as vítimas do tremor, segundo o Ministério das Relações Exteriores.

Forte terremoto no Nepal mata centenas e provoca avalanche no EverestFoto%3A EFE

Galeria: Forte terremoto deixa mais de mil mortos no Nepal

Na Índia, onde o forte abalo sísmico foi sentido em vários locais e provocou pelo menos 36 mortos, o governo anunciou o envio, ainda hoje, de um avião C-130 com uma equipe de emergência a bordo e de um Boeing C-17 com material hospitalar para Katmandu, capital do Nepal, a área mais afetada pelo tremor no país localizado na região do Himalaia.

Em Pequim, o diário oficial do Exército Popular informou que o governo chinês vai enviar uma equipe de 40 especialistas em resgates e seis cães treinados para auxiliar as operações. Nos Estados Unidos, a Agência para o Desenvolvimento Internacional (Usaid), órgão norte-americano de ajuda externa de caráter civil, anunciou que vai enviar uma equipe de socorro e repassar US$ 1 milhão para auxílio de necessidades mais urgentes.

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) também anunciou o envio de quatro equipes com pessoal médico e de outras áreas para o Nepal para prestar assistência às pessoas afetadas pelo terremoto. As equipes partirão no próximo domingo do estado de Bihar, na Índia, próximo à fronteira com o Nepal e onde a organização trabalha desde 2007. A organização humanitária também anunciou o envio de três mil kits de itens de primeira necessidade e kits médicos para o Nepal.

Já considerado o maior terremoto a atingir o Nepal, desde 1934, o abalo sísmico foi registrado exatamente às 11h56 (horário locai) - nove horas a mais do que o horário de Brasília - e teve o epicentro a cerca de 80 quilômetros da capital, Katmandu, a apenas dez de quilômetros de profundidade.

O órgão de vigilância geológica norte-americano US Geological Survey estabeleceu inicialmente a magnitude do tremor em 7,5 na escala Richter. Posteriormente, o índice foi elevado para 7,9 e depois corrigido para 7,8. Após o abalo, pelo menos 16 réplicas, de magnitudes entre 4,2 e 6,6, foram sentidas em território nepalês e chinês.

Forte terremoto no Nepal mata centenas e provoca avalanche no EverestFoto%3A EFE

A zona da capital nepalesa foi a mais duramente atingida, registando mais de metade (579) dos mortos já confirmados pelas autoridades do país asiático. Vários edifícios, muitos deles monumentos antigos, foram reduzidos a escombros em Katmandu, incluindo a simbólica torre Dharahar, de 50 metros de altura, construída no século XIX, que ruiu por completo.

O terremoto provocou também uma avalanche em uma das montanhas do Himalaia, atingindo um campo base do monte Everest, mais alta montanha da terra, aonde foram registradas, até o momento dez mortes, entre eles alpinistas estrangeiros. Autoridades indianas informaram, no entanto, que uma equipe de montanhistas do Exército local localizou 18 corpos no Everest.

O mês de abril é um dos meses de maior movimento de alpinistas no Everest devido às condições climáticas e, segundo o Ministério do Turismo do Nepal, estariam atualmente na zona de escalada pelo menos mil montanhistas, entre os quais aproximadamente 400 estrangeiros.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia