Universidade pode expulsar alunos por 'colarem' em prova pelo Whatsapp

Cerca de 50 alunos usaram um grupo para divulgar respostas. Investigação interna do caso deve durar dois ou três meses.

Por victor.duarte

Chile - A Universidade Católica do Chile investiga cerca de 50 alunos que teriam "colado" em um uma prova através de um grupo do Whatsapp no qual compartilhavam as respostas. O caso aconteceu no dia 4 de maio em uma prova de eletricidade e magnetismo do curso de Engenharia da instituição. Os envolvidos usaram um grupo do Whatsapp chamado "Churrasco de família" para divulgar as respostas.

Universidade do Chile investiga alunos por 'colarem' em prova através de um grupo do WhatsappDivulgação

A professora percebeu o que estava acontecendo e denunciou o caso às autoridades da universidade, que abriu um inquérito. Juan Carlos de la Llera, decano da Faculdade de Engenharia, afirmou à imprensa local que 18 alunos já reconheceram que "colaram" no exame, mas a suspeita é de que o número de estudantes envolvidos chegue a 50.

O reitor da Universidade Católica, Ignacio Sánchez, repudiou com veemência o caso e o considerou "muito grave". "O mais importante é a tolerância zero de estudantes, diretores e a universidade para expressar, com força e convicção, que o plágio acadêmico não pode ser tolerado", afirmou. A investigação interna do caso deve durar dois ou três meses, e os alunos que colaram podem ser expulsos da universidade.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia