Mais Lidas

Mulheres-bomba matam pelo menos 30 pessoas na Nigéria

Segundo autoridades nigerianas, o grupo, que tem atacado objetivos considerados fáceis, matou cerca de 12 mil pessoas nos últimos cinco anos, 3 mil só em 2014

Por luis.araujo

Nigéria - Pelo menos 30 pessoas morreram nesta segunda-feira, na cidade nigeriana de Madagali, no estado de Adamawa, em um duplo atentado cometido por duas mulheres-bomba em um mercado local, segundo informações de voluntários civis que apoiam o Exército na luta contra o grupo terrorista Boko Haram. Embora o Exército tenha confirmado a ocorrência, ainda não há confirmação sobre o número exato de mortos.

O mercado em que as duas mulheres, que levavam os explosivos presos aos corpos, cometeram o atentado fica próximo de uma rodoviária e é muito frequentado. O ataque ocorreu após pelo menos 35 pessoas terem sido assassinadas entre o último domingo e hoje em vários atentados na cidade de Maiduguri, capital do estado de Borno, e localizada, tal como Madagali, no Nordeste do país, região de população muçulmana e epicentro da atividade do Boko Haram.

O governo nigeriano informou há dias sobre os avanços na luta contra o grupo fundamentalista islâmico, afirmando que destruiu boa parte da sua capacidade militar e recuperou territórios importantes que haviam sido tomados pelos terroristas.

O presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, que determinara o dia 31 de dezembro como prazo para exterminar o Boko Haram, declarou que o governo havia "tecnicamente" derrotado o grupo, mas os recentes atentados mostram que os militantes continuam capazes de causar uma carnificina em massa.

Segundo autoridades nigerianas, o grupo, que tem atacado objetivos considerados fáceis (mercados, rodoviárias e locais de grande concentração de civis), matou cerca de 12 mil pessoas nos últimos cinco anos, 3 mil só em 2014.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia