Por bianca.lobianco

Israel - A polícia de Israel revelou neste sábado o nome do suspeito de realizar um ataque com arma automática em um pub de Tel Aviv na sexta-feira, que deixou dois mortos e sete feridos, e segue desaparecido. As autoridades policiais assinalaram, em comunicado, que o suspeito se chama Nashat Melhem, árabe-israelense de 31 anos e morador da cidade de Arara, na Galileia, no norte do país.

Policiais e forças especiais da unidade antiterrorista e do serviço secreto interior, o Shin Bet, participam da operação de busca do suspeito, que foi gravado por, pelo menos, duas câmeras de vigilância. O suposto atirador foi identificado por seu pai na véspera, que o reconheceu em uma das gravações e ligou para a polícia para confirmar sua identidade.

De acordo com o perfil construído pela imprensa local, o suspeito é um ex-presidiário que foi condenado a cinco anos de prisão pela tentativa de roubo da arma de um soldado. O auto da acusação indica que o crime estava motivado por sua ira por causa do assassinato de um primo seu em uma batida policial.

A sentença, de 2007, também descrevia Melhem como um indivíduo violento, que teria tentado em pelo menos outras duas ocasiões roubar a arma de dois soldados de segurança e que abusava das drogas. Seu advogado alegou então que o acusado atuou movido por um transtorno mental, aspecto que o juiz rejeitou ao assegurar que não podia ser provado que sofresse alguma doença desse tipo que o incapacitasse de responsabilidade penal.

As investigações tentam esclarecer também se o atirador do pub HaSimta, situado na movimentada rua Dizengof de Tel Aviv, matou uma terceira pessoa antes ou após fugir. O corpo de um taxista árabe-israelense foi encontrado no norte da cidade uma hora depois do ataque e, embora em um primeiro momento não tenha se estabelecido qualquer relação entre os dois incidentes, a polícia comunicou que tinha imposto um completo segredo de sumário sobre ambos casos, segundo um comunicado oficial.

Você pode gostar