Mais Lidas

Brasileira é encontrada morta com sinais de estrangulamento no Japão

Dois corpos foram achados por bombeiros que apagaram um incêndio no apartamento em que a mulher vivia com a família

Por clarissa.sardenberg

Japão - Duas mulheres foram encontradas estranguladas em um apartamento incendiado em Handa,na província de Aichi, a 340 km de Tóquio, no Japão. Uma delas é a brasileira Akemy Amarilha Maruyama, de 27 anos, segundo o "Japan Times". A polícia ainda não identificou o outro corpo, mas há suspeitas de que seria da irmã dela, de 29 anos. O crime aconteceu no dia 30 de dezembro de 2015 (horário do Japão) e foi divulgado pela imprensa japonesa neste sábado. Há suspeitas de que tenha sido cometido pelo ex-marido de Akemy, um peruano.

Brasileira Akemy Maruyama tinha 27 anos e vivia no Japão com os dois filhos Reprodução Facebook

Os corpos foram achados por bombeiros que responderam o chamado para apagar o fogo no apartamento, que teria sido incendiado logo após o crime, de acordo com investigações. Segundo a mídia japonesa, uma autópsia revelou que as duas mulheres foram sufocadas até a morte na tarde da última quarta-feira (horário do Japão). Um vizinho contou que o fogo começou no início da madrugada.

Um galão vazio de cinco litros de gasolina foi achado na cozinha do local. No momento em que o fogo começou a porta do apartamento estava trancada. A brasileira foi encontrada deitada de bruços em sua cama e a segunda mulher estaria caída no chão de um quarto diferente, segundo a polícia.

Akemy vivia no apartamento com as duas filhas, de 5 e 3 anos, desde abril do último ano, de acordo com um dos funcionários do local. Ela é natural de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. As crianças foram encontradas a salvo na última quarta-feira. Ela estava no país há cerca de 10 anos. 

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores informou que está acompanhando o caso por meio do Consulado-Geral do Brasil em Nagóia e prestando apoio aos familiares.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia