Ataques contra mulheres em Colônia foram organizados, diz Alemanha

Governo investiga 19 suspeitos, todos imigrantes, por roubos e estupros. Mudanças para asilo no país foram anunciadas

Por O Dia

Alemanha - Os violentos ataques contra mulheres na noite de Réveillon em Colônia, na Alemanha, foram "organizados", informou nesta terça-feira o chefe da agência federal Bundeskriminalamt (BKA), Holger Münch. "Os ataques eram organizados. Está claro que os agressores vieram de mais regiões e cidades para Colônia. Geralmente, uma coisa do tipo é organizada através das redes sociais", destacou Münch à "RBB Inforadio". 

O chefe da entidade descartou que os ataques tenham partido de "organizações criminosas", mas disse que eles tinham um outro tipo de operação. "Estamos falando de grupos fechados, não vemos uma hierarquia entre os grupos nessa situação", acrescentou.

Centenas foram às ruas na Alemanha após mulheres serem estupradas por refugiados no país Reuters

Até o momento, a polícia de Colônia anunciou que está investigando 19 suspeitos pelas 653 denúncias de roubos e estupros ocorridos entre a noite do dia 31 de dezembro e a manhã do dia 1º de janeiro. Todos os investigados são imigrantes, sendo 10 solicitantes de asilo e outros nove "ilegais".

A acusação de que os criminosos eram refugiados provocou uma série de manifestações em diversas partes da Alemanha que pediam o fechamento das fronteiras para os estrangeiros.

Até mesmo membros da coalizão de governo de Angela Merkel pressionam a chanceler para limitar a entrada de imigrantes em, no máximo, 200 mil pessoas por ano. Só em 2015, o país recebeu mais de um milhão de deslocados, vindos especialmente da Síria.

Lei de asilo endurece

Apesar de negar que haverá um endurecimento para conceder asilos na Alemanha, o ministro do Interior, Thomas De Màiziere,e o ministro da Justiça, Heiko Maas, anunciaram mudanças na legislação sobre o tema.

Agora, caso o envolvido em algum tipo de crime seja alguém que solicitou ou obteve o asilo "ele pagará as consequências", explicaram os ministros em entrevista coletiva.

Nos casos de delitos de estrangeiros contra a vida de outra pessoa, contra a orientação sexual, lesões corporais, ataques à polícia e aos bens públicos, que comportem ao menos um ano de detenção, os estrangeiros poderão ser expulsos da Alemanha. Dependendo do crime, essa expulsão poderá ocorrer em caso de delito com pena inferior.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência