Estados Unidos em alerta contra o Zika vírus

Diretrizes para grávidas que viajaram para países com casos da doença recomendam acompanhamento até depois do parto, com testes auditivos e de visão

Por felipe.martins , felipe.martins

Atlanta, EUA - Bebês nascidos nos Estados Unidos de mães que viajaram para algum dos países afetados pelo surto do Zika vírus deverão ser submetidos a exames de diagnóstico, segundo as novas recomendações dos autoridades de saúde do país divulgadas nesta terça-feira. As diretrizes recomendam acompanhamento até depois do parto, com testes auditivos e de visão.

O Centro de Controle de Doenças, com sede em Atlanta, emitiu nos últimos dias um alerta no qual pediam aos viajantes, especialmente às mulheres grávidas, para “tomar precauções reforçadas” se fossem aos países afetados pelo vírus.

O diretor dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA pediu nesta terça-feira mais esforços para estudar o impacto das infecções por Zika, citando recente levantamento que estima que o vírus pode alcançar regiões onde 60% da população norte-americana vive. Num texto publicado em blog, o diretor Francis Collins cita um estudo publicado em 14 de janeiro no qual pesquisadores preveem que o Zika poderia se espalhar em áreas pelas costas leste e oeste dos EUA e em muito do centro-oeste durante os meses de mais calor, de maio a setembro. Cerca de 200 milhões de pessoas moram nessas regiões.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia