Cientistas dizem que 'é hora de cancelar Olimpíadas no Rio' por surto do Zika

Segundo especialistas norte-americanos, é irresponsável prosseguir com Jogos e jovens não vão querer vir ao Brasil

Por O Dia

Estados Unidos - O alarme com o Zika vem causando cada vez mais preocupação com as Olimpíadas Rio 2016, em agosto, já que o Brasil é o país mais afetado pelo vírus. A revista "Forbes" publicou nesta quarta-feira um artigo que pede o cancelamento do evento por causa dos riscos do surto, além de fazer duras críticas a respeito da poluição na Baía de Guanabara. De acordo com o texto, é irresponsável prosseguir com os Jogos já que a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a epidemia uma emergência mundial de saúde pública.

"Parece que é hora de cancelar os jogos Olímpicos 2016 no Rio de Janeiro. A razão é simples: mulheres não podem viajar para lá em segurança", diz o texto dos pesquisadores Arthur Caplan e Lee Igel. "Enquanto as águas poluídas e problemas de segurança já dificultam as coisas para qualquer visitante lá, agora o Brasil está na linha de frente da epidemia do vírus Zika", escreveram especialistas em esporte.

Risco de contrair Zika vírus durante as Olimpíadas preocupa comunidade internacionalFiocruz imagens

"Quem vai viajar para o Rio em meio a uma epidemia de Zika? Não mulheres jovens, que podem ficar grávidas e dar à luz a uma criança com deficiência", alertam. Após a notícia de que uma pessoa nos Estados Unidos foi infectada com o vírus depois de ter relações sexuais com um turista que havia voltado da Venezuela, é dito também que nenhum "jovem sexualmente ativo vai querer vir ao Rio e correr o risco de transmitir a doença para uma parceira".

O surto da doença chegou a ser comparado a um filme de ficção científica de Hollywood. De acordo com o artigo, os atletas que virão ao Rio estão "bolando esquemas" para se proteger melhor do mosquito e "estocando repelentes". "Os atletas ainda querem ir ao Rio, mas é impossível que o Comitê Olímpico Internacional deva permitir isso", critica a revista.

Após falar sobre ações coordenadas que o país deve fazer, é apontado que o país está "quebrando" antes mesmo de pagar pelas Olimpíadas. "Onde deveria estar a prioridade financeira no meio de uma epidemia? (...) O Brasil vai se afundar em dívidas tentando combater a epidemia enquanto paga pelos Jogos", diz o texto.

"O Comitê precisa mudar os Jogos de lugar, adiá-los ou cancelá-los. Prevenção é o melhor jeito de encarar uma séria ameça à humanidade", finaliza o artigo.

No Brasil

Nesta segunda-feira, o ministro-chefe da Casa Civil, ministro Jaques Wagner, disse que não há a possibilidade de haver cancelamento das Olimpíadas do Rio devido à gravidade do problema.

A presidente Dilma Rousseff anunciou em pronunciamento em cadeia nacional de TV nesta quarta-feira que o governo federal fará "tudo, absolutamente tudo" para proteger as grávidas da ameaça do vírus. Ela reiterou que conversou com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sobre uma parceria para buscar uma vacina contra o Zika.

O Comitê Organizador Rio 2016 informou nesta terça que vendeu 2,75 milhões de ingressos para os Jogos, o que equivale a 74% da meta de arrecadação financeira estimada. Foram disponibilizadas 5,2 milhões de entradas para as competições entre 5 a 21 de agosto.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência