Coreia do Norte diz que colocou um satélite espacial em órbita

Fontes dos governos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos confirmaram o êxito da operação da Coreia do Norte

Por lucas.cardoso

Seul - A Coreia do Norte informou que o lançamento de um foguete de longo alcance, realizado hoje, foi bem-sucedido e que colocou em órbita um satélite espacial de observação terrestre. O anúncio foi feito por meio da emissora de televisão estatal norte-coreana e, segundo a mensagem que foi lida por uma apresentadora, o "satélite de observação da terra Kwangmyong 4" está em órbita.

Fontes dos governos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos confirmaram o êxito da operação da Coreia do Norte, que é considerada pela comunidade internacional como um teste encoberto de mísseis balísticos. No comunicado lido na televisão, a Coreia do Norte reclama o seu "direito legítimo" de "usar o espaço com fins pacíficos e independentes" e promete "lançar mais satélites no futuro", no seguimento da política de "dar prioridade à ciência e à tecnologia".

A emissora divulgou também imagens do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, celebrando o êxito da operação ao lado de funcionários que estiveram na sala de comando. Peritos da Coreia do Sul estimam que o foguete possa ter um alcance de mais de 10 mil quilômetros, uma distância superior à que separa a península coreana do território continental dos Estados Unidos.

Pyongyang realizou um teste nuclear no mês de janeiro e havia anunciado na semana passada o lançamento, este mês, de um foguete transportando um satélite, que a maioria da comunidade internacional vê como uma dissimulação para um teste de mísseis balísticos, que viola resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia