Ana Cecília Romeu: Isso que chamam de amor

O amor nos acrescenta para além de mera unidade

Por bferreira

Rio - Não somos uma metade que procura outra para se completar; somos um inteiro que procura outro inteiro para transcender. O amor nos acrescenta para além de mera unidade, nos transformamos pelo olhar do outro, é quando se dá o complemento. Uma matemática toda esquisita e subjetiva para além da lógica: quando um somado a um é mais que dois, como nas sábias palavras do poeta uruguaio Benedetti.

Nessa equação sentimental, alguns dizem que o problema é que se acredita no ‘romance rosa’; no que contraponho: penso que a questão é quando não se crê nele. Temos direito a ser princesas ou príncipes. Não matem a Cinderela, por favor! Como chegar à majestade de nosso reino amoroso, sem antes experimentarmos ser filhos dele, e se deixar levar, simplesmente? Entendendo que isso é uma fase, pois que ela seja ‘eterna enquanto dure’, como disse o poeta.

O amor não é morno, ele oscila, passa por todas as estações, todos os nossos tempos. É como um morrer e permanecer vivo, como dizia Quintana. E um saber-se acabar no outro para se reiniciar: “Não morro de amor, morro de ti, amor”, sentenciou o mexicano Jaime Sabines. E é um sentimento exigente. O amor altruísta é o fraternal; o amor a dois é troca, o famoso ‘dar e receber’ para além da permuta de fluídos, e não perdura se não temos a contrapartida.

Só amamos quem conhecemos o suficiente para perceber que o som nos agrada quando ouvimos, e ansiamos por repetição, sonhando ser possível o lado B nesse CD, pois o ser amado é como aquele seriado que colocamos em horário nobre e aguardamos cada capítulo: ainda que alguns episódios nos decepcionem, esperamos nova temporada. O amor deixa nossa alma tão hipercalórica que já não cabe mais no corpo. É quando somos mais que um, e mesmo que o tempo desbote, aqui e ali, o frescor das primeiras cores, desejamos a aquarela inteira: o ontem que queremos hoje, porque nos trará nova manhã.

Publicitária e escritora

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia