Jandira Feghali: ‘Mais Médicos’ precisa de debate

'Esta reformulação exige diálogo, parceria, e o governo reconheceu isto agora'

Por nara.boechat

Rio - Recentemente, o Ministério da Saúde agilizou uma resposta à falta de médicos em 700 cidades com o programa Mais Médicos, por medida provisória, embora essa rapidez ainda não responda a muitos problemas da área. A MP oferece oportunidade aos médicos brasileiros nas cidades desassistidas através de bolsa-formação, sendo que a nenhum outro profissional é dado este tratamento. Como um juiz desloca-se para uma comarca no interior? Através de bolsa? O ministério também chegou a apontar a ampliação em dois anos da graduação de Medicina, embora as próprias universidades não tenham sido ouvidas neste processo.

Os médicos precisam ser formados no SUS, mas por que não dentro dos tradicionais seis anos? Desde a edição da MP propusemos repensar o conteúdo, com ampliação de vagas, presença de todos os médicos residentes na atenção básica pública, independentemente da especialidade escolhida, assim como criar novo programa de residência médica, por emenda apresentada pela bancada do PCdoB. Esta reformulação exige diálogo, parceria, e o governo reconheceu isto agora.

A medida inova com critérios para autorizar o funcionamento de escolas privadas de Medicina, estabelecendo necessidades regionais e pré-seleção de municípios, mas força o gestor local em garantir toda a estrutura de saúde para os alunos, sem qualquer ressarcimento aos cofres públicos. É inaceitável para o SUS e para a educação pública que defendemos, principalmente quando temos faculdades de Medicina privadas que não são devidamente fiscalizadas.

Entre muitas alternativas, avalio que é preciso criar uma carreira de Estado multiprofissional que incorpore os profissionais de saúde brasileiros e que estes sejam alocados nas cidades vulneráveis. Acredito também que o conteúdo da MP deva ser feito por outro instrumento, garantindo o debate sobre formação, residência médica e sua devida inserção no SUS.

Jandira Feghali é médica, deputada federal pelo PCdoB e presidenta da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia